"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Ônibus levam campanha contra violência no trabalho

Iniciativa que reúne Cerest e entidades de classe vai até o fim do ano e tem por objetivo incentivar a denúncia

 

Campanha contra a violência e o assédio moral no trabalho está sendo realizada pelo Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), da Prefeitura de São Bernardo, em conjunto com várias outras entidades que formam a Frente Municipal de Prevenção e Enfrentamento de Violência no Trabalho. A campanha começou em fevereiro e segue até o fim do ano, com propagandas afixadas em oito linhas municipais de ônibus.
Colocadas no vidro traseiro dos coletivos, são duas propagandas com os slogans “Assédio moral no trabalho é violência” e “Trabalhar sim, adoecer não”, e que vêm acompanhadas do telefone 4128-7771, para o recebimento de denúncias. Segundo a gerente do Cerest Eliana Pintor, o objetivo é que cada vez mais acidentes e doenças causadas por conta do ambiente de trabalho sejam notificados.  “Muitos têm medo de perder o emprego se denunciarem práticas de assédio moral ou mesmo más condições de trabalho. Mas temos de combater esses riscos à saúde do trabalhador.
Quanto à escolha das linhas municipais para a campanha, Eliana explicou que se levou em consideração o percurso dos ônibus: “Demos preferência para os ônibus que passam por locais com maior concentração de empresas ou de bairros com o maior número de moradores que trabalham em indústria. Além disso, todas as linhas passam pelo Centro, fazendo com que a ação chegue a um número maior de pessoas”, explicou.
Desde setembro de 2013, quando o prefeito Luiz Marinho assinou o decreto que obriga os serviços de saúde, públicos ou privados, a notificar o Cerest sobre os atendimentos relacionados a doenças do trabalho, o número de notificações tem aumentado.
Se em 2013 o órgão municipal registrou 4.771 notificações, em 2014 foram 5.305. Já em 2015, esse número saltou para 6.788 notificações (aumento de 42,28% entre o primeiro e o último ano). Além disso, São Bernardo ocupa o quarto lugar em notificações de agravos à saúde do trabalhador entre os 645 municípios do Estado. “A ideia é que, com essa campanha, o número de notificações aumente ainda mais”, disse a coordenadora.
A Frente Municipal de Prevenção e Enfrentamento de Violência no Trabalho é formada pelo Cerest, Central Única dos Trabalhadores (CUT), Pastoral Operária, Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador (Renast) e pelos sindicatos dos Metalúrgicos, Bancários, Professores, Químicos, Agentes Comunitários de Saúde, Sindserv e Sindsaúde.


Fonte: abcdoabc
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário