"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


terça-feira, 2 de setembro de 2014

Ufam tem 46 casos de assédio moral, diz comissão

Os dados foram revelados durante uma audiência pública no plenário da ALE

 

Manaus - A Comissão de Combate ao Assédio Moral da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) identificou 46 casos de professores com estresse pós-traumático causados por assédio moral dentro do ambiente de trabalho da universidade, afirmou um dos coordenadores da Comissão professor José Ribamar Mitoso. Porém, até agora, nenhum dos 16 processos administrativos foi concluído, informou o vice-reitor da Ufam, Hedinaldo Narciso Lima. A Ufam tem 3,2 mil servidores, sendo 1,7 mil professores.
Os dados foram revelados em audiência pública, na manhã dessa quinta-feira (28), no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).
De acordo com José Ribamar, a audiência é uma vitória e o primeiro passo para combater o problema no serviço público.
“Pelo menos duzentos professores sofreram algum tipo de assédio moral na universidade. É um problema grave que tem que ser combatido com o diálogo”, disse Ribamar.
Segundo o professor, o problema surgiu depois dos anos 1990, quando a gerência do serviço público passou a trabalhar no que ele define como “sistema capitalista de lucro”.
De acordo com a representante da Rede Nacional de Combate ao Assédio Moral no Trabalho (Renacom), Regina Célia Leal, o assédio no serviço público é muito comum e o problema maior é não ter uma legislação específica.
“Muitas vezes os casos chegam na Justiça e os responsáveis não são responsabilizados especificamente por assédio moral, mas com a criação da Rede Nacional essas pessoas já têm onde se apoiar”, disse.
Foi anunciada, na audiência, a criação da comissão de assédio moral na rede de ensino público do Estado.

Fonte:  D24am

Nenhum comentário:

Postar um comentário