"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


quinta-feira, 26 de junho de 2014

Você é vítima de assédio moral no trabalho? Defenda-se!



Por Álvaro Ferreira da Costa

Muito se fala sobre o assédio moral, mas poucos trabalhadores realmente sabem o que caracteriza a prática e como proceder se for vitimado.

O assédio moral é tão antigo quanto o trabalho! Resumidamente, a prática consiste na exposição do trabalhador a situações humilhantes caracterizadas por violência psicológica. Tal prática acontece repetidas vezes dentro do ambiente de trabalho e, geralmente, quando o funcionário está executando suas tarefas.

Dessa forma, algumas situações específicas podem ser consideradas assédio moral, como xingamentos, principalmente na frente de outros colegas; impor metas inatingíveis; negar folgas quando os outros funcionários são liberados; apelidar o empregado; excluir o funcionário do convívio dos outros; entre outras situações.

A principal causa de o funcionário ser vítima do assédio moral é o desejo que o agressor tem de vê-lo desligado da empresa. Assim, cria-se um ambiente insustentável em volta do trabalhador para ele pedir a demissão e a empresa não ter que arcar com os custos da demissão sem justa causa.

Os trabalhadores devem estar atentos aos sinais! O assédio moral, além de prejudicar o outro profissionalmente, pode trazer danos psicológicos, como a depressão, e até físicos.

A vítima do assédio moral deve anotar com detalhes todas as situações constrangedoras a que foi submetida; pedir ajuda de colegas que testemunharam o fato; evitar conversar com o agressor sem testemunhas; e procurar o Sindicato.

Quando comprovado, os tribunais trabalhistas reconhecem o assédio e fazem com que os empregadores paguem indenizações à vítima. O Sindigráficos pede aos gráficos da base que procurem o Sindicato caso isso esteja acontecendo em sua empresa, seja com o próprio trabalhador ou colega. Os trabalhadores merecem respeito e um ambiente de trabalho harmonioso.

  Álvaro Ferreira da Costa, Presidente do Sindicato dos Gráficos de Barueri e Região.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário