"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


quarta-feira, 18 de junho de 2014

Rede Kinoplex pode pagar R$ 1 mi por assédio moral a funcionários

Trabalhadores denunciam que não podem sentar e não recebem hora extra.
Eles dizem ainda que não usam Equipamentos de Proteção Individual (EPI).

 

O Ministério Público do Trabalho em Alagoas (MPT-AL) ajuizou uma ação civil pública na Justiça do Trabalho contra a rede de cinemas Kinoplex por danos morais coletivos. Se condenada, a empresa pode pagar R$ 1 milhão por submeter seus funcionários a irregularidades no ambiente de trabalho.

Em depoimentos colhidos pelo MPT, ex-empregados do Kinoplex relataram que eram proibidos de trabalhar sentados, mesmo após longos períodos em pé, tinham que pedir permissão para usar o banheiro e também manuseavam máquinas, a exemplo de uma pipoqueira, sem Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Além disso, de acordo com o MPT, gerentes da empresa ainda repreendiam os funcionários na presença de clientes e incentivavam o pedido de demissão por parte de funcionários “insatisfeitos”. Os trabalhadores denunciam ainda a falta de pagamento de horas extras por parte da rede Kinoplex.

Diante das irregularidades, o Ministério do Trabalho Público do Trabalho pediu na Justiça do Trabalho, em caráter liminar, que a rede de cinemas seja proibida de realizar qualquer desconto salarial relacionado à reposição de estoques, que efetue o pagamento devido de horas extras e conceda intervalos intrajornadas. O MPT pede ainda que a empresa providencie assentos ergonômicos e EPIs para os empregados e que não pratique nenhuma conduta de assédio moral. O descumprimento das obrigações pode acarretar multa de R$ 100 mil.

A reportagem do G1 entrou em contato com a assessoria de comunicação do Kinoplex que informou que a rede ainda não foi notificada oficialmente da ação civil pública. De acordo com a assessoria, só será tomada alguma medida após essa notificação. 

Fonte G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário