"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Metrô-DF lança campanha contra o assédio moral e sexual no trabalho

Companhia quer incentivar as vítimas a denunciarem os casos ao Ministério Público do Trabalho


O Metrô-DF lançou na quinta-feira (23/01) uma campanha que combate o assédio moral e sexual em ambiente de trabalho. Com o tema "Para quem escuta, nem toda cantada é inocente" a companhia quer incentivar as vítimas a denunciarem os casos ao Ministério Público do Trabalho.

A escriturária Silvana Schreiber já passou por maus momentos no serviço e chegou a ser assediada pelo dono da antiga empresa.

Ela ficou com medo, mas não teve coragem de denunciar.

— Levei cantadas dos patrões, recebi convites indecentes, mas achava que eles poderiam me mandar embora. Por isso, não falei nada e preferi pedir demissão quando tive a oportunidade de mudar de trabalho.

Humilhação e constrangimento são problemas que muitos trabalhadores enfrentam todos os dias. Crimes que, de acordo com o Ministério Público do Trabalho, são considerados assédio moral.

Para o jornalista Wellington Oliveira muitas pessoas ficam caladas porque têm medo de represálias.

— Essas pessoas ficam reféns da situação, porque precisam do emprego e sabem da dificuldade de conseguir um.

Qualquer atitude abusiva que atrapalhe o ambiente de trabalho e rebaixe o funcionário pode ser considerada assédio moral, como críticas e brincadeiras de mau gosto, imposição de horários sem justificativa e agressão verbal.

O procurador regional do Trabalho, Adélio Justino, disse que nesses casos a empresa pode ser multada e obrigada a cumprir algumas práticas.

— O assédio moral vem de uma prática repetida de atos que degradam a dignidade do trabalhador. Ele fica totalmente isolado e quando esse fato chega ao Ministério Público nós procuramos pegar todas as provas, chamar a empresa e discutir os temas com ela.

Além da empresa ser multada, a pessoa que assediou pode responder criminalmente pelo ato. Para protocolar a denúncia é preciso reunir provas como gravações, emails e testemunhas.

Fonte:  R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário