"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

CSPB na luta contra o Assédio Moral


por Andressa Oliveira
edição Grace Maciel

Dirigentes sindicais realizaram encontro na sede da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB), na última quinta-feira (13) com o intuito de criar uma frente contra o Assédio Moral no serviço público brasileiro. O projeto tem o apoio de várias entidades sindicais e da Comissão de Direito Sindical e Associativo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF).

Representando a CSPB esteve presente o diretor de Qualificação e Certificação de Entidades Sindicais, Gonzaga de Negreiros, que destacou a importância de um grupo como esse para o serviço público. “O serviço público tem algo ainda encastelado, algo encoberto, onde o assédio moral está prejudicando os servidores e nós da CSPB junto com outras entidades como o SindItamaraty, o SindFazenda, o SindLegis e outras representações estamos formando essa frente para discutir esse tema e tentar encontrar práticas que coíbam esse mal”. Concluiu Negreiros.

O representante do SindItamaraty, Alexey Van Der Brook, destacou a luta da entidade em prol do fim do assédio moral. “O SindItamaraty vem já algum tempo, priorizando a luta contra o assédio moral. Por que nós consideramos que é uma contribuição essencial para o bom andamento de trabalho. É fundamental um ambiente de trabalho livre de qualquer pressão”.

Já para Caroline Sena, representante da OAB-DF, é necessário aproximar o governo da sociedade para criar um debate mais aprofundado do tema. “A OAB tem todo o interesse em estabelecer esse vinculo mais aproximado entre as entidades sindicais e a sociedade. E temos total interesse em fomentar esse debate e aproximar os três poderes dessa luta”.

Além do diretor da CSPB, participaram do encontro:  Luis Roberto (SindFazenda), Alexey Van Der Brook (Sindtamaraty), A. Rigueire (Sindtamaraty), Eliane Cristina M. S Cesário (Sindtamaraty), Eduardo Marques (Sinasempu), Ogib Teixeira Filho (Sindilegis/Confelegis),  Caroline de Sena (representante do presidente da Comissão da OAB, Ítalo Magalhães).

"Assédio Moral é a exposição dos trabalhadores e trabalhadoras a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções, sendo mais comuns em relações hierárquicas autoritárias e assimétricas, em que predominam condutas negativas, relações desumanas e aéticas de longa duração, de um ou mais chefes dirigida a um ou mais subordinado(s), desestabilizando a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização, forçando-o a desistir do emprego".

Fonte: CSPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário