"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Cresce índice de assédio moral coletivo

Há 11 anos tramitava apenas uma ação na Justiça do Trabalho, sobre assédio moral coletivo, quando há exposição contínua dos trabalhadores a situações humilhantes e constrangedoras em diversos setores da empresa. A prática também é conhecida como assédio moral organizacional, institucional ou "straining".
 
Até o fim do ano passado, 115 casos estavam em tramitação no Judiciário. Um aumento de mais de 100%. O setor bancário é um dos que mais apresentam assédio moral, com cobranças cada vez mais desumanas. 
 
Em janeiro passado, por exemplo, a Justiça do Trabalho da Bahia condenou, em primeira instância, o Banco do Brasil, por ameaçar os funcionários com a perda de cargo comissionado, ridicularizando, isolando e ainda colocando apelidos depreciativos. Segundo o procurador do Trabalho, Luís Antônio Barbosa da Silva, os excessos serviam para forçar os bancários a fecharem mais negócios com clientes. 
 
A ação foi movida graças à atuação do Sindicato, que entrou com representação no Ministério Público do Trabalho. O MPT, por sua vez, ingressou com processo por dano moral coletivo. Agora, o BB terá de pagar indenização no valor de R$ 2 milhões para a Nacci (Núcleo de Apoio e Combate ao Câncer Infantil). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário