"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


domingo, 2 de junho de 2013

Republicações 3

Relato 3 (Quase dei na sua cara)


Recebemos no trabalho a visita de uma Supervisora que veio anotar os cursos que toda a equipe já havia feito. A chefe me chamou para que eu dissesse os meus, e ao saberem que eu não havia feito uma parte de um treinamento que era em dois módulos, embora na época me houvessem liberado para fazê-lo, fui orientada pela Supervisora que eu não poderia fazer aquele procedimento, até participar do módulo faltante. Afirmei que não tinha problema, que eu não gostava tanto assim de feridas, que era só arranjar um lugar onde eu pudesse encaminhar os clientes para fazê-lo, e que estava tudo bem.


A chefe então retrucou que eu estava dizendo aquilo, mas que precisava ver o sucesso que eu fazia executando tal procedimento. Mas embora a sua linguagem verbal falasse a meu favor, a sua linguagem não verbal dizia o contrário, e como pude constatar pouco tempo depois, a minha percepção estava correta. 

No mesmo dia ao me encontrar em particular, disse rispidamente: "Quase dei na sua cara... como é que você fala que não gosta de feridas? Esse povo não é de confiança, você fala demais, eles não são amigos...”

-Esse tipo de afirmação “você fala demais”, era frequente nas suas “observações” a meu respeito. 

Expressar sentimentos e opiniões era atitude bastante arriscada naquele contexto.




Impedir o funcionário de expressar-se faz parte das estratégias do agressor.


Imagem Google



Nenhum comentário:

Postar um comentário