"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


segunda-feira, 6 de maio de 2013

Assédio moral no trabalho

Redação, Revista Emprego


O local de trabalho se refere, nos dias atuais, àquele lugar no qual as pessoas passam a maior parte do dia e, por isso, as relações no mesmo precisam ser adequadas. No entanto, uma das situações que acontece cada vez mais nos ambientes de trabalho de ramos variados de atuação é o chamado assédio moral.


Esta situação consiste na exposição diante de todos os funcionários de um trabalhador específico a ocasiões humilhantes e constrangedoras que ocorrem de forma repetida e prolongada.

A ocorrência do assédio moral é mais comum entre superiores e seus subordinados que fazem este tipo de ação naquele profissional que possui características que vão contra os interesses daquele que assedia.

Diante disso os motivos para o início de um assédio moral são variados como maiores capacidades, melhor desempenho ou ainda por divergências sexuais e psíquicas entre o assediado e o assediador.

Além disso, a situação vivida pelo trabalhador moderno que possui um grande temor em ficar desempregado é um motor que impulsiona o assédio moral que, muitas vezes, é aceito pelo funcionário que não quer, e não pode ficar sem trabalhar.

Outro fator que favorece o surgimento de cada vez mais ocorrências relacionadas ao assédio moral é o desconhecimento pela maioria das pessoas do seu conceito e das medidas legais que são cabíveis para o seu controle e combate.

De forma geral, aquele que realiza o assédio moral tem como principal objetivo gerar a instabilidade no trabalhador por meio de ações contínuas de humilhações e constrangimentos. Outra forma de ação consiste em atos velados como ironias, fofocas, sinais e boatos que não deixam pistas que possam ser utilizadas de forma posterior por aquele que é assediado.

Em virtude destas características, o assédio moral é considerado um tipo de violência invisível porque com o passar do tempo aqueles que sofrem o mesmo começam a acreditar nas falsas impressões que o seu assediador passa sobre ela mesma.

Aqueles que assediam, no entanto, são pessoas que não sentem empatia por outras, mas que escondem uma baixa auto-estima com relação a suas ações e que buscam descontar a sua frustração em outras pessoas tidas como mais competentes do que elas mesmas.

Como identificar o assédio moral no trabalho

Algumas manifestações típicas do assédio moral são a delegação de tarefas humilhantes, excesso de rigidez, críticas feitas em público, repressão por qualquer tipo de inovação feita pelos funcionários, agressões verbais, exposição de problemas pessoais, zombarias, orientações confusas e outras.

O assédio moral, além de problemas relacionados com a produtividade em geral na atividade profissional, gera o surgimento de diversos tipos de doenças em suas vítimas que pensam ser exatamente o que seus agressores afirmam e apresentam estados depressivos ou de transtornos psiquiátricos em decorrência disso que podem até mesmo levar à morte.

Para aqueles que sofrem com o assédio moral é preciso informar que existem possibilidades de combate com base na CLT a qual define a demissão por justa causa dos funcionários que realizam este tipo de ação com seus funcionários ou colegas de trabalho.

Com relação à sua punição, estão sendo feitas ações legislativas para a criação de instrumentos legais específicos com relação a este tipo de mal do trabalho.

Portanto, se você sofre ou conhece alguém que sofra com algum assédio moral é extremamente importante falar e lutar contra esta verdadeira covardia que todos os dias acontecem no cotidiano profissional de dezenas de pessoas.

Fonte: Revista Emprego



Nenhum comentário:

Postar um comentário