"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


terça-feira, 19 de março de 2013

Ato denuncia assédio moral no Itaú


Com ato de protesto, o Sindicato denunciou a prática de assédio moral infligida a diversos funcionários do complexo CA Raposo Tavares, do Itaú. A manifestação ocorreu na manhã desta quarta-feira 6, em frente ao prédio.

As vítimas do assédio trabalham no departamento Usoac (Superintendência de Operações Contra Atendimento) e sofrem com o abuso de poder do coordenador de serviços operacionais.

Os trabalhadores acusam o gestor de gritar com eles e de levar diversas questões para o lado pessoal. “Três funcionários já foram demitidos e para um deles o gestor deixou claro que não ia 'com a sua cara', e por isso o demitiu”, conta a diretora do Sindicato Valeska Pincovai. Ela informa que esse funcionário está passando por tratamento psiquiátrico em consequência do assédio pelo qual passou no banco. “Além dele, na mesma área houve vários outros casos de funcionários afastados por causa do comportamento desse gestor.” Depressão e surto psicótico são alguns dos problemas diagnosticados nos trabalhadores afastados.

Resposta do banco – O problema foi levado às instâncias superiores do Itaú, e a resposta dada foi a de que não havia nenhum problema com a postura do funcionário. “Nós lamentamos essa atitude do gestor e também do Itaú, por não reconhecer o problema, e exigimos providências imediatas, caso contrário as manifestações vão continuar”, promete Valeska.

Denúncia – A diretora lembra ainda a convenção coletiva da categoria tem cláusula que garante a denúncia e a defesa do trabalhador contra o problema. O instrumento de combate ao assédio moral foi um conquista de 2010 e foi renovado na  Campanha de 2012, com a adesão de todos os grandes bancos que atuam no Brasil, inclusive o BB que até a campanha passada não tinha aderido ao programa. “A prática do assédio moral é inaceitável e o bancário que se sentir nessa condição deve romper o isolamento e utilizar esse canal para denunciar.”

O assédo moral pode ser denunciado por aqui. A identidade do denunciante é preservada.

Fonte: FeTeC

Nenhum comentário:

Postar um comentário