"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Debate sobre retenção de talentos e assédio moral chega a Vitória


Depois de baixar em Cachoeiro de Itapemirim, o Seminário Itinerante em Vitória das câmaras de Desenvolvimento do Capital Humano (CDCH) e de Assuntos Jurídicos (CAJ), da Fetransportes, aportaram em Vitória, dia 22 de agosto, para mais uma rodada de apresentações e debates a respeito de dois temas atuais: retenção de talentos e assédio moral. O evento foi realizado no auditório do Setpes.

Dessa vez, os profissionais responsáveis pelas palestras foram Miriam Devens, que falou sobre Os Desafios para a Retenção de Talentos, e a advogada Alessandra Lamberti, que apresentou as considerações mais recentes a respeito do Assédio Moral nas Organizações.

No início da sua palestra, Miriam lançou uma pergunta para as cerca de 40 pessoas que marcaram presença no seminário: “Como uma empresa pode estimular seu funcionário?”. “Dando desafios”, respondeu a seguir, ressaltando, ainda, que não adianta o profissional ter talento de sobra se faltar força de vontade.

“O que as empresas mais querem, hoje em dia, é gente comprometida. Nesse sentido, mais importante do que ter talento é ter força de vontade. É isso o que as empresas querem!”, completou.

A retenção de talentos é, hoje, o grande desafio das empresas. E isso foi comprovado num estudo realizado com 456 empresas brasileiras. “Cinquenta e quatro por cento dos executivos que responderam a pesquisa confirmou esse dado”, disse Denise.

Mas isso não significa que a organização seja a responsável pela carreira de seu profissional. Muito pelo contrário! “O funcionário que pensa ‘só faço cursos oferecidos pelo meu empregador’ está fora do mercado, pois o conceito que está valendo, atualmente, é o da carreira sem fronteira”, reforçou a palestrante, tranquilizando o público no que diz respeito às medidas eficientes para “segurar” os bons profissionais.

“As práticas para reter talentos passam por ações simples que as empresas de transportes podem lançar mão, como por exemplo: intensificar a credibilidade da empresa ou do RH; fazer com que a equipe se sinta respeitada; ter imparcialidade no tratamento aos funcionários; fazer com que os colaboradores se orgulhem do próprio trabalho; e manter um clima de camaradagem na empresa. Aliás, manter o bom clima organizacional é fundamental”, enumerou.

Assunto jurídico

Depois do tema comportamental, entrou em cena um dos assuntos mais atuais do mundo organizacional: o assédio moral. E para simplificar a definição do tema a advogada Alessandra Lamberti, que integra a equipe de profissionais do escritório Brum & Advogados Associados, resumiu: “Assédio é a interpretação que damos a tudo o que acontece na relação entre as pessoas”.

A advogada admite: assédio moral é um assunto carregado de subjetividade. Apesar disso, sua consequência pode doer bastante no bolso. “E ele tem gerado inúmeros problemas de ordem trabalhista com queixas que estão diretamente ligadas à questão da produtividade. Se eu exijo que meu colaborador produza e cumpra metas, isso pode ser encarado por ele como assédio. Portanto, cuidado com a comunicação!”

Quem foi ao seminário Itinerante gostou dos temas apresentados. Para o Supervisor de Tráfego da Expresso Santa Paula, Divone Miranda, a primeira palestra focou naquele que, segundo ele, é um dos maiores empresas de todos os setores de produção.

“Perder talentos faz parte da nossa realidade, principalmente no setor operacional. Por isso é tão importante ouvir dicas de outros profissionais sobre como podemos fazer para vencer esse desafio”, comentou. Miranda, por sinal, é um caso vivo de retenção de talento, pois começou na empresa como cobrador, passou para motorista e hoje ocupa o cargo de Supervisor de Tráfego.

Já a Analista de RH da Transportadora Transfinal, Cristina Broseghini, gostou mais da segunda apresentação. “Como o assunto assédio nas organizações está em alta, foi ótimo ouvir as argumentações da advogada Alessandra Lamberti. Afinal, não queremos passar por uma situação como essa dentro da nossa empresa”, argumentou.

A próxima parada do Seminário Itinerante da CDCH e da CAJ será em Colatina. O evento na Região Noroeste está marcado para dia 18 de setembro, das 13h30 às 17 horas, no SEST SENAT de Colatina.

 Fonte: Fetransportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário