"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Caixas do Santander denunciam pressão e assédio moral em São Paulo


O Sindicato dos Bancários de São Paulo tem recebido denúncias contra assédio moral de funcionários da área operacional do Santander, principalmente caixas. O problema advém da pressão que os superiores exercem sobre esses trabalhadores para o cumprimento de metas de vendas. 

A situação, segundo a diretora do Sindicato Carmen Meireles, é no mínimo contraditória, já que o banco nega que existam metas de venda para caixas. "A direção do Santander diz que não, mas de fato os caixas também são cobrados a vender produtos do banco. E isso tem sobrecarregado e adoecido esses funcionários", diz a dirigente.

Carmen destaca que, além de serem pressionados pelo "tempo de fila", já que têm um limite de tempo com cada usuário, os caixas ainda precisam oferecer aos clientes as campanhas do banco, com produtos como fundos de capitalização, seguro, débito automático, entre outros.

"E não para por aí. Esses funcionários ainda fazem a compensação, processam os depósitos e pagamentos efetuados pelos clientes nas máquinas do autoatendimento e processam os documentos deixados em malotes de PJ. Agora afirmam que em breve terão de fazer a digitalização de alguns documentos nas agências. Vale ressaltar que anos atrás o banco eliminou serviços de retaguarda e caixa PJ, passando os mesmos para um 'núcleo externo de processamento', diminuindo assim o número de funcionários, agora volta com esses serviços para as agências sem contratar mais funcionários", critica Carmen.

A sindicalista destaca também que, apesar de tantas funções, os caixas não são autorizados a fazer horas extras. "Se fazem, o gestor tem de dar explicações ao banco e utilizar sistema de compensação de horas. Mas o acordo de compensação de horas extras utilizado não está previsto na convenção coletiva dos bancários, nem no acordo aditivo do Santander, muito menos foi negociado com o Sindicato", denuncia.

Pressão 

Os funcionários reclamam das reuniões de cobrança diárias nas agências. De acordo com eles, nesses encontros todos são pressionados, além disso, os bancários recebem e-mails e telefonemas lembrando as metas a cumprir. 

"A forma mais cruel de assédio moral, o assédio institucional praticado pelos bancos, acaba causando adoecimento físico e mental do bancário, que pode ficar descartado para sempre do mercado de trabalho. Hoje a gestão do banco envolve simplesmente impor metas cada vez mais abusivas de vendas, gerando opressão sobre todo o grupo de trabalhadores e desgastando a relação da instituição com seus clientes. O Sindicato continuará cobrando o fim das metas abusivas e combatendo o assédio moral", diz Carmen.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb São Paulo
Fetec CUT

5 comentários:

  1. Bom Dia,

    Estou decepcionada com a adm.bancária, os funcionários ja´trabalham estressados por que lidam com pessoas e dinheiro lheio,mais o ambiente propício a assaltos, mais pressão dos chefes,mais metas...ninguém aguenta mesmo!! com tanta gente precisando trabalhar, por que não contratam mais pessoas? sairia mais barato afstamento por doença e processo trabalhista.
    E agora estarão na minha "lista negra" o Banco do Brasil, Santander, Bradesco vou fazer campanha e divulgar o que ocorre dentro dessas instituições aos meus amigos. Boitoce!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. quer dizer ...Boicote total!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente pesa sobre uma grande parte de instituições bancárias, um número considerável de acusações de assédio moral a seus funcionários. Como se não bastasse o peso da responsabilidade e o risco constante, as pressões por produção a qualquer custo tem gerado um grande índice de afastamento do trabalho por problemas psiquiátricos.

    ResponderExcluir
  4. Verdade . Realmente penso que não quero aposentar no Santander ! Acordo a noite pensando nas metas para cumprir, nas ligaçoes que devo fazer para oferecer produtos . Não aguento mais essa pressao na cabeça ! E eu sou caixa . Agente tem k atender os clientes vom rapidez e ainda produzir! Você é um numero para o santander e quando vc não produzir mais te metem um pè na bunda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente meu caro Anônimo,
      O melhor caminho no caso da pressão excessiva no trabalho, além do próprio assédio, é munir-se de provas dos abusos sofridos e realmente, repensar o futuro.
      Um grande abraço e volte sempre!
      Assediados

      Excluir