"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


sexta-feira, 14 de setembro de 2012

ANDT reúne grandes nomes do Direito do Trabalho em seu II Congresso Internacional

FERNANDA CAMPOS

Academia Nacional de Direito do Trabalho (ANDT) promove, entre os dias 27 e 28 de setembro, o II Congresso Internacional com o tema Novos Temas e Desafios no Mundo do Trabalho, em homenagem ao acadêmico Arnaldo Süssekind, que faleceu em julho desse ano.

Serão discutidos vários temas pertinentes ao Direito do Trabalho, como “Novas Formas de Medidas de Conflito”, "Aviso Prévio Proporcional", "Os Desafios da Negociação Coletiva","Assedio Moral no Ambiente de Trabalho e sua Prevenção", "Acidente de Trabalho, Prevenção e Reparação ", "Novas Tecnologias e as Repercussões do art. 6º da CLT", entre outros. 

O II Congresso Internacional da ANDT será no Teatro Maksoud Plaza (Alameda Campinas, 150, São Paulo, SP). As inscrições podem ser feitas até dia 21 de setembro, e custam R$ 100,00 para profissionais e R$ 50,00 para estudantes. Para efetivar a inscrição, efetuar depósito identificado no Banco do Brasil (Agência 3324-3, C/C 31.150-2, favorecido: Academia Nacional de Direito do Trabalho, CNPJ: 68.570.647/0001-92) e enviar o comprovante para o e-mail a...@andt.org.br, com os seguintes dados: nome, telefone, e-mail e comprovante de matrícula (para os estudantes).

Para abordar os assuntos, os mais renomados nomes do Direito do Trabalho do mundo estarão presentes, entre eles, Nelson Mannrich, Presidente da ANDT; Santiago Pérez Del Castillo Algorta, Ex-Ministro do Trabalho do Uruguai, Membro Correspondente da ANDT (Uruguai); Guilherme Caputo Bastos, Ministro do Tribunal Superior do Trabalho; Estêvão Mallet, Advogado, Professor Associado da Faculdade de Direito da USP, Membro da ANDT; Gabriel Lopes Coutinho Filho, Juiz do Trabalho da 2ª Região; João Leal Amado, Professor da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (Portugal); João de Lima Teixeira Filho, Advogado, Membro da ANDT; Ada Pellegrini Grinover, da ANDT e Professora Titular do Departamento de Direito Processual da Faculdade de Direito da USP aposentada; Vantuil Abdala,Ministro do Tribunal Superior do Trabalho aposentado, Membro da ANDT; Valdir Florindo, Desembargador do TRT 2ª Região, Diretor,Secretário da ANDT; Antônio Carlos Aguiar,Advogado; Georgenor de Sousa Franco Filho,Presidente Honorário da ANDT, 
desembargador do TRT 8ª Região; Hugo Roberto Mansueti, Professor da Universidade Católica de Buenos Aires, Membro Correspondente da ANDT (Argentina); Alberto Levi,Professor da Universidade de Modena e Reggio Emilia, Membro Correspondente da ANDT (Itália); Helio Zylberstajn,Professor Associado e Livre,Docente pela FEA,USP, Presidente da Associação Instituto Brasileiro de Relações de Emprego e Trabalho, IBRET; José Augusto Rodrigues Pinto,Presidente Honorário da ANDT; Sebastião Geraldo de Oliveira,Desembargador do TRT 3ª Região; Cláudia Salles Vilela Vianna,Advogada, especialista em Direito Previdenciário e Direito do Trabalho; Amauri Mascaro Nascimento,Presidente Honorário da ANDT; Arion Sayão Romita,Presidente Honorário da ANDT; Maria Cristina Irigoyen Peduzzi,Ministra Vice,Presidente do Tribunal Superior do Trabalho, Presidente Honorária da ANDT; José Affonso Dallegrave Neto,Advogado, Doutor em Direito das Relações Sociais,UFPR, Professor Universitário, Membro da ANDT; Maria Cristina Irigoyen Peduzzi,Ministra Vice,Presidente do Tribunal Superior do Trabalho, Presidente Honorária da ANDT; José Affonso Dallegrave Neto,Advogado, Doutor em Direito das Relações Sociais,UFPR, Professor Universitário, Membro da ANDT; Maria Cristina Irigoyen Peduzzi,Ministra Vice,Presidente do Tribunal Superior do Trabalho, Presidente Honorária da ANDT; José Affonso Dallegrave Neto,Advogado, Doutor em Direito das Relações Sociais,UFPR, Professor Universitário, Membro da ANDT; José Eduardo Campos de Oliveira Faria, Professor Titular do Departamento de Filosofia e Teoria Geral do Direito da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.

O evento conta com o apoio da AMATRA-SP, AASP, IASP, AATSP, Academia Paulista de Direito, LTr e Lex Magister. E é patrocinado Bradesco, Caixa Econômica Federal, GOL, Itaú, Maksoud Plaza, Banco Mercantil do Brasil e Santander.

* A Academia Nacional de Direito do Trabalho, também conhecida pela sigla ANDT, é a mais importante entidade privada que se dedica ao estudo e à pesquisa do Direito e Processo do Trabalho, reunindo os cem mais expressivos juristas brasileiros, tendo como Patronos o Ministro Luiz Galotti e o Professor Antônio Ferreira Cesarino Júnior. Seu primeiro Presidente foi o Ministro Arnaldo Lopes Süssekind, um dos autores da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT. Sua fundação data de 10 de outubro de 1978, na cidade do Rio de Janeiro, e nasceu por iniciativa de um grupo de juristas ligados ao Direito do Trabalho, tendo à frente o advogado carioca Joaquim Custódio de Azevedo Bouças, com a finalidade de estudar o Direito do Trabalho, aperfeiçoar e difundir a legislação trabalhista. Dentre os seus diversos objetivos, destacam-se: a organização de cursos, simpósios, conferências e congressos nas diversas regiões do País, contando para isso com o apoio de seus associados; a promoção, mediante convênios com órgãos públicos e particulares, Universidades ou instituições de ensino, de cursos de Direito do Trabalho e Direito Processual do Trabalho, de extensão universitária ou em nível de pós-graduação, conferindo diplomas ou certificados; e intercâmbio cultural com entidades nacionais ou estrangeiras. Destaca-se, ainda, a realização anual do Concurso de Monografias Jurídicas, para profissionais e estudantes de Direito. Da mesma forma, edita, há mais de 15 anos, sua Revista, com artigos doutrinários de seus integrantes.

Fonte: http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=87830:andt-reune-grandes-nomes-do-direito-do-trabalho-em-seu-ii-congresso-internacional-&catid=50:cat-demais&Itemid=331

6 comentários:

  1. BOM DIA,

    QUE BOM SABER QUE TANTOS NOMES RENOMADOS COMO DESCRITOS ACIMA, ESTARÃO PREOCUPADOS COM O TEMA "ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO" , NOS DÁ MUITA ESPERANÇA DE QUE UM DIA ESSE TEMA SEJA "BANIDO" OU "TEMIDO" DAS RELAÇÕES TRABALHISTAS
    FICO MUITO FELIZ E ESPERO TER ÓTIMAS NOTÍCIAS DESTE GRANDE EVENTO.
    OBRIGADO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratos Rute Miranda, por seu comentário.
      O Assédio Moral no Trabalho precisa de fato ser combatido, banido e temido pelos maus empregadores.
      Também esperamos ótimas notícias desse Congresso.
      Volte Sempre!
      Assediados

      Excluir
  2. Estava pensando, por que não lançam um "Programa de Reeducação Empresarial".
    Assim como para tirar carta/renovação da carteira de habilitação é preciso frequentar obrigatoriamente, aulas de prevenção de acidentes? então as empresas também deveriam frequentar aulas, obrigatórias , uma vez por ano , para saberem lidar com as questões trabalhistas como prevenção de acidentes, assédio moral, motivação para melhorar o ambiente de trabalho etc. Evitaria acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, diminuiria despesas para a Empresa e para o Estado. O ambiente de trabalho ficaria mais saudável, as pessoas motivadas , renderia muito mais e consequentemente a empresa lucraria e o Estado também.
    As empresas deveriam anualmente , passaria por esta "vistoria" e avaliação para exercer ou continuar sua atividade no mercado. A empresa ficaria "fichada" caso tenha muitos processos trabalhistas, incluindo logicamente, o Assédio Moral" . Caso observassem descaso dos empregadores para fazer as melhorias necessárias, esta empresa ficaria advertida , sob "vigilância, "cartão amarelo" e teria um prazo para se adaptar as normas e regras do direito trabalhista, sujeito a multas altas até o fechamento desta empresa, caso desacatasse ordens judiciais. Poderia até comparar com carteira de habilitação que após um numero alto de pontos e infrações ele perde a carta de habilitação.
    As empresas também deveriam ter esse tipo de controle de "infrações trabalhistas" .
    Sabemos que os maus empregadores dariam um "jeitinho brasileiro" para tentar diblar a lei, mas de repente, como já sabemos disso , o Estado poderia ser mais rigoroso.

    Sugestão e desabafo de uma assediada

    ResponderExcluir
  3. Certamente, estaremos presentes neste importante encontro.
    http://efoadvogado.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Dr. Eduardo,
      Esperamos boas notícias deste importante evento.
      Abraços
      Assediados

      Excluir