"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


quinta-feira, 26 de julho de 2012

Bancários de Brasília querem saúde vinculada ao combate ao assédio moral e às metas abusivas e aumento real

Mobilização será fundamental para garantir mais conquistas na campanha deste ano



Depois de dois dias de intensos debates, os bancários de Brasília definiram em assembleia na tarde deste sábado 7 de julho, dentro do Congresso do Sindicato dos Bancários de Brasília, as propostas de reivindicações da categoria para a Campanha Nacional 2012.



“O Congresso foi muito positivo e as propostas foram coerentes com tudo aquilo que vem sendo discutindo com a base desde o encerramento da campanha do ano passado. Levaremos à 14ª Conferência Nacional dos Bancários propostas claras para mobilizar todos os trabalhadores e realizarmos uma grande campanha nacional”, afirmou o diretor do Sindicato Eduardo Araújo, que conduziu a plenária final.

Todas as propostas aprovadas pelos bancários e bancárias de Brasília serão levadas à 14ª Conferência Nacional dos Bancários, que será realizada em Curitiba entre os dias 20 e 22 de julho. A Conferência definirá a pauta geral de reivindicações que será negociada com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), paralelamente às negociações específicas do Banco do Brasil, da Caixa e do BRB.

“Mais uma vez o Sindicato abriu espaço para que todos os trabalhadores pudessem dar suas sugestões para a Campanha Nacional. Assim como nos anos anteriores, as propostas foram amplamente debatidas e depois aprovadas, democraticamente, pelos delegados”, destacou o presidente do Sindicato e da Central Única dos Trabalhadores do Distrito Federal (CUT-DF), Rodrigo Britto, reforçando mais uma vez a importância da unidade nacional.

Entre os principais itens aprovados pelos bancários estão: saúde vinculada ao combate ao assédio moral e às metas abusivas; jornada de 6 horas sem redução salarial; garantia de emprego; mais contratações; piso de R$ 2.383,28 e reajuste de 12%, incluindo 4,97% da inflação projetada para o período (setembro de 2011 a agosto de 2012) mais aumento real.

Além de ratificar as decisões da plenária geral, a assembleia aprovou os 32 delegados e delegadas que representarão Brasília na 14ª Conferência Nacional e desautorizou a Contec a representar os bancários do DF nas negociações. 

Os bancários decidiram ainda negociar cláusula de desconto assistencial, com vistas a cobrir os gastos extraordinários do Sindicato com a Campanha 2012. Isso porque o Sindicato decidiu manter o mesmo nível de investimentos em publicidade e estrutura de apoio e logística que marcou as últimas campanhas no DF e que resultaram em importantes conquistas para o conjunto da categoria.

Trabalhadores do Ramo Financeiro

Neste domingo (8), último dia do evento, o Congresso do Sindicato prossegue com discussões entre os cooperativários, financiários, lotéricos e demais trabalhadores do Ramo Financeiro.

Consulta aponta prioridades de Brasília   
    
Durante a plenária que debateu as reivindicações dos bancários, o Sindicato divulgou os resultados da consulta realizada junto à categoria para saber quais devem ser as prioridades para a Campanha Nacional 2012 – os resultados serviram inclusive como subsídios às discussões. Exatos 1.267 bancários responderam à consulta. Os trabalhadores puderam marcar até dois itens em cada uma das perguntas, distribuídas em questões relativas a saúde, condições de trabalho e segurança, emprego e remuneração fixa, direta e variável.

Aumento real de salário, ampliação do piso da categoria e Plano de Carreiras, Cargos e Salários são itens que, segundo os bancários, devem estar entre as prioridades nas negociações sobre remuneração.

Em relação a saúde e condições de trabalho, os pontos mais votados foram o combate ao assédio moral (67,96%), o fim das metas abusivas (51,30%), a isonomia de direitos aos afastados por licença-médica (32,36%) e a segurança contra assaltos e sequestros (14,76%).

Diante do grande número de bancários afastados e do crescimento dos casos de assédio moral em Brasília, a saúde vinculada ao combate ao assédio moral e às metas abusivas será o principal eixo das cláusulas não econômicas. “No DF, as metas abusivas e o assédio moral são graves problemas que precisam ser combatidos”, salientou Eduardo Araújo. “Por isso, priorizaremos esses itens na campanha deste ano”, acrescentou. 

Afastamentos

Dos bancários que responderam à consulta, 35,20% disseram ter se afastado do trabalho nos últimos 12 meses por motivo de saúde, e 23% afirmaram fazer uso de medicação controlada.

Entre as principais reivindicações relacionadas ao item ‘emprego’ estão: jornada de seis horas para todos sem redução de salários (64,88%); garantia de emprego com a ratificação da Convenção 158 da Organização Internacional do Trabalho (31,49%); mais contratações (26,12%); ampliação do horário de atendimento com dois turnos (19,26%) e fim da terceirização (18,55%).

Disposição de luta

Ainda de acordo com a consulta, 92, 27% disseram estar dispostos a participar da Campanha Nacional 2012. “Esperamos que todos os trabalhadores se engajem nas atividades organizadas pelo Sindicato ao longo da nossa campanha. Dessa forma, unidos, temos muito mais chances de ampliar nossas conquistas, mesmo diante da atual conjuntura econômica”, lembrou Rodrigo Britto.

A pesquisa apontou ainda a importância, para os bancários, da regulamentação do sistema financeiro (55,64%) e da redução dos juros (53,51%).

Rodrigo Couto 
Do Seeb Brasília

Nenhum comentário:

Postar um comentário