"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


quinta-feira, 8 de março de 2012

DEIXAR EMPREGADO SEM TRABALHO É ASSÉDIO MORAL.

Por Eduardo Figueredo de Oliveira

Juiz reconhece danos morais a professora vítima do método geladeira.

O abuso do poder diretivo, por parte do empregador, vem sendo uma constante nas relações de trabalho, ensejando o ajuizamento de milhares de ações na Justiça do Trabalho todos os anos. Muitas vezes o poder empregatício se manifesta de forma autoritária e o trabalhador, pela inferioridade na relação de trabalho subordinado e pelo temor de perder o emprego que lhe garante o sustento, acaba por se sujeitar às condições impostas. Geralmente são medidas sutis que visam a desestabilizar a pessoa, conduzindo-a a um desgaste emocional. Um exemplo disso é o método de colocar o empregado na "geladeira", ou seja, deixá-lo ocioso, sem função alguma. Sem trabalho, a pessoa se sente humilhada e tem sua honra profissional afetada.

Analisando um desses casos, o Juiz Marco Antônio de Oliveira, titular da 2ª Vara do Trabalho de Uberlândia, condenou uma universidade a pagar a uma professora indenização por danos morais no valor de R$3.700,00. Primeiramente, a professora foi deixada ociosa na sala dos professores e, depois, designada para lecionar no Curso de Nutrição, quando sua contratação era para o Curso de Moda.

Em sua defesa, a universidade não esclareceu o ocorrido. Por sua vez, uma testemunha confirmou as alegações apresentadas na inicial. Por essas razões, o magistrado reconheceu como verdadeira a versão da reclamante. Na visão do julgador, a conduta de deixar o empregado ocioso, injustificadamente, afronta a dignidade e constrange. Não se trata de mero aborrecimento. A situação remete ao odioso ato de "colocar o empregado na geladeira" . O magistrado lembrou a canção do compositor Gonzaguinha, na qual ele diz que "vida é trabalho e sem o seu trabalho um homem não tem honra." E chamou atenção para o fato inexplicável de serem atribuídas à reclamante aulas de curso para o qual não foi contratada.


Nesse contexto, o magistrado concluiu que houve afronta à dignidade da trabalhadora e deferiu a ela indenização por danos morais, com base nos artigos 186, 187 e 927, que regulam a matéria. Para definir o valor de R$3.700,00, o juiz se valeu dos parâmetros fixados na legislação, ressaltando que os danos não ultrapassaram os limites da escola e que a reclamada é sabidamente instituição respeitável no seu ramo de atividade, além do que o grau de culpa não foi relevante a ponto de causar abalo significativo. A matéria já foi apreciada pelo Tribunal, em grau de recurso interposto pela ex-empregadora, mas a reparação foi mantida.

FONTE: Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região /MG, acessado em 13/02/2012.


Eduardo Figueredo de Oliveira - OAB/SP nº. 221.607 – Pós-Graduando em Direito Administrativo pela PUC/SP. Atuação nas áreas do Direito Público (servidores públicos de municípios, estados e União, ações constitucionais, consultas e pareceres sobre temas diversos, Inquéritos Civis/MP, processos perante os Tribunais de Contas) e do Direito Privado, com ênfase para o Direito do Consumidor, ações indenizatórias, ações trabalhistas e previdenciárias (Regime Geral e Regime Próprio dos Servidores Públicos). Foi servidor concursado do Procon/SP.

47 comentários:

  1. Bom dia,me chamo Geraldo Vainer Nogueira Alves,eu já fui funcionário da Sabesp,Taubaté-sp,no cargo de servente,durante um ano,fui assediado pelo meu encarregado(Bonafé)desde a primeira semana de trabalho,marquei uma audiência no Ministerio do Trabalho,às 8h,mas não pude ir porque estava no período de experiência,e se eu chegasse atrazado no trabalho não passaria na experiência,pedi ajuda para o Delegado sindical e ele me disse que teria de escrever uma carta de própio punho e entregar a ele,na carta,eu coloquei o nome do encarregado,ele me explicou que se ele enviasse a carta com o nome do encarregado,o Sindicato paralizaria a Sabesp,eu fiquei com medo e pedi algum conselho e ele me disse para tirar o nome do encarregado e colocar que eu tinha problemas com a chefia,nunca soube se algum chefe foi responsabilizado,e o encarregado continuou do mesmo jeito,me convidava para ir à sua fazenda,passear de helicóptero,pescar,fazer uma festinha com duas garotas,etc;e sempre me ameaçava,dizendo:ou você entra no esquema,ou vai ser mandado embora.Eu sou homen,não sedi a ele,e a turminha dele sempre me maltratava,levei chute no calcanhar,pesada na perna,passada de mão na bunda e outras coisas mais,até que um dia um outro encarregado me pediu R$50,00 para ir a Ubatuba,foi a gota d'água,pedi a conta;e tem mais,tem funcionários da Sabesp que ficam dando indiretas sobre dinheiro para o dono da casa,se o propietário não paga,o trabalho não é feito,eu presenciei isso várias vezes,a equipe chega para fazer o serviço,eles falam sobre dinheiro,se a pessoa não paga,eles vão embora;Até hoje eu guardo isso comigo,agora estou fazendo outros concursos e espero conseguir saber a quem buscar ajuda numa situação de crime trabalhista,faz 7 anos que eu saí da Sabesp.obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Geraldo,
      o assédio em todas as suas formas, deixa marcas, sentimentos e ressentimentos que dificilmente serão esquecidos. Embora já tenha se passado 7anos do seu pedido de demissão, sugerimos que procure um bom advogado ai na sua cidade para orientar-se com mais propriedade. Muitas vezes saímos perdendo por não buscarmos orientação adequada. No seu caso, por exemplo, poderia ter sido pedida Rescisão Indireta do contrato de trabalho, que é quando você pede demissão (por falta grave do empregador), mas sai com todos os direitos de quando é demitido sem justa causa. Embora as ações trabalhistas tenham um tempo para prescrição, outros crimes contra a honra, e que causam dano moral à vítima tem prescrição mais longa.
      O mais importante em situações de assédio, seja ele sexual ou moral é que você tenha provas da sua denúncia para ingressar com uma ação.
      Desejamos sorte a você e a todos os que sofrem com o assédio moral no trabalho. Mas muito mais que sorte, o entendimento de que é preciso buscar orientação com profissionais especializados que poderão ajudá-lo a tomar as decisões certas e no momento oportuno.
      Atenciosamente
      Assediados

      Excluir
  2. Estou há 17 anos na geladeira... No início da década de 90 fui convidada para participar de uma equipe técnica de pesquisas na Presidência da República, como requisitada. Em 1996 eu recusei participar de um processo licitatório da área em que eu trabalhava - tecnologia - então resolveram me perseguir profissionalmente e pessoalmente. Colocaram-me profissionalmente na geladeira, sofri vários golpes financeiros que tinham a intenção de me falir financeiramente, e isolaram-me socialmente, um verdadeiro exílio. No fina de 2001, após ter perdido a minha filha, eu consegui voltar para a Petrobras - meu órgão de origem - mas a perseguição de Brasília se perpetuou para o Rio de Janeiro, e de forma mais arrojada. Meus gerentes me intimidaram exigindo que eu me aposentasse por invalidez, e que eu nunca faria nada dentro da Empresa... Esse processo já perdura há 17 anos... Procurei todas as instâncias jurídicas, e ninguém me deu atenção, ao contrário... Meu nome é Mônica Prado Torres, e eu continuo sem fazer nada, morrendo um pouco a cada dia...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Mônica,
      Esperamos que as coisas estejam melhores para você e que tenha encontrado em alguma instância resposta às suas necessidades.
      Infelizmente aconteça o que acontecer, sempre sairemos perdendo quando o assunto é assédio moral no trabalho.
      Caso deseje escrever a sua história, teremos prazer em publicá-la.
      Um grande abraço.
      Assediados

      Excluir
  3. Bom dia meu nome é Marcel gostaria de saber sobre minhas questões pessoais estou sem trabalhar sem função alguma e também nao tenho folha de ponto para bater entrada e saída e minha supervisão coloca no ponto o horário que ela quer ta to de entrada e de saída , gostaria de saber se posso ir embora passado mais da metade do turno de trabalho por não aguentar mais essa situação; obrigado pela atençao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaríamos de saber como está sua situação hoje.
      Os contatos sobre situações específicas devem ser feitos através do e-mail assediados@gmail.com.
      Um abraço
      Assediados

      Excluir
  4. boa noite
    estou sendo assediada em meu trabalho ,por estar gestante me colocaram ''na geladeira'' por que tive que ir as minhas consultas e minha patroa ja mudou meu horario 3 vezes depois da gestação que hoje estou com 5 meses ,hoje ainda estou na empresa só cumprindo horario de trabalho e minha patroa ja me deixou sobre aviso que vai em mandar embora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por gentileza escreva para o e-mail assediados@gmail.com dando mais detalhes da situação.
      Um abraço
      Assediados

      Excluir
  5. Procurem o Ministério Publico do Trabalho de suas cidades e façam as denuncias.
    Após denunciarem procurem um advogado especializado em direito do trabalho. Não façam por conta própria.
    Esse é meu conselho como advogada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Dra. Vanessa,
      Caso deseje escrever um post com orientações sobre o tema teremos prazer em publicá-lo.
      Contatos pelo e-mail assediados@gmail.com
      Gratos pelo comentário.
      Assediados

      Excluir
  6. Acabei de voltar de uma licença médica e trabalho por produção. Sou professor e recebo por hora/aula. A empresa esta cancelando as minhas aulas e mandando pra casa, fazendo como se eu não tivesse ido ao trabalho. Eles não dão documento nenhum que estão fazendo isso e ainda não pagam o valor do meu dia trabalhado. Forçando como se eu estivesse abandonando o emprego e o pior e que descontam do pouco que me resta pra receber. Nesse caso, o que devo fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro (a) Prof. (a).
      Grave e filme tudo.
      Mande emails para os seus superiores relatando o fato e o seu temor de que pareça que você abandonou o emprego, isso para que você tenha um documento do ocorrido e possa respaldar-se.
      Infelizmente como aulista, é opção da escola mantê-lo (a) ou não.
      Você pode orientar-se no Sindicato dos professores.
      Boa sorte!
      Assediados

      Excluir
  7. Estou gravida de 5 meses,minha patroa esta de assediando colocando camera na empresa e me deixando sem fazer nada o dia todo,querendo que eu pessa conta,pois estou sobre gravidez de risco,nao sei mais oque fazer nao aguento mais esta situaçao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que dureza!
      Em hipótese alguma peça demissão!
      Ela terá que aguentar você até o fim da Licença Maternidade. Só então poderá demiti-la.
      Colocar câmera é um direito dela, a menos que a câmera esteja em banheiro e/ou vestiário.
      Grave e filme o que puder para se defender, e procure um advogado trabalhista para orientá-la.
      Boa sorte!
      Um grande abraço.
      Assediados

      Excluir
  8. trabalhei na area de projetista junior externo, minha empresa demitiu 12 funcionarios e não me demitiu por ainda me querer como funcionario mas na area interna, estou em casa por que o patãro disse que está sem espaço e para ficar tranquilo, vou continuar recebendo meu salario parado em casa ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anônimo,
      Se você está recebendo pagamento regularmente, mesmo estando em casa... Tudo bem!
      Mas é bom ficar atendo a esses acertos pouco formais, pra que depois não digam que não foi bem assim, que você ficou em casa porque quis... sabe como é!
      Então mande e-mail pra tudo. Dê uma de "bobo" e peça explicação pra tudo por e-mail. Assim você ao menos terá documentado minimamente as coisas, caso não saia tudo certinho como parece.
      Boa sorte!
      Um braço
      Assediados

      Excluir
  9. fui informada que estava de aviso prévio, porém nenhum documento fui me entregue para ser assinado dias antes do final do mês recebi o papel do aviso e fui informada que aquele seria meu último dia de trabalho, mas que eu retornasse no último dia do mês para assinar a documentação, mas ao longo deste período descobri que estava grávida de aproximadamente  dois meses por isso antes de assinar os documentos informei ao empregador o que estava acontecendo mesmo assim fui convocada a comparecer na empresa e realizar o exame.  Por fim fui informada por ele que eu voltaria a trabalhar na semana seguinte  e que ele descontaria os dias de que fiquei em casa e que eu só iria para marcar presença na empresa me impossibilitando de realizar minhas funções. Gostaria de saber se isso é permitido e se devo colocar a empresa na justiça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite querida.
      Que situação difícil!
      Mas seja como for, eles terão que engolir a sua presença até o fim da gestação e você só poderá ser demitida após o fim da licença maternidade. Em hipótese alguma peça demissão!
      Processar a empresa agora talvez não seja interessante. Gaste sua energia para colher provas contra eles pelo Assédio que provavelmente irá sofres neste período.
      Comunique-se com eles da forma mais formal possível. Use emails ou cartas registradas e passe a gravar e filmar todos os contatos que tiver com seus superiores.
      Quanto a lhe descontarem os dias que não trabalhou, sendo que esta foi uma orientação deles... Seria interessante você procurar um advogado trabalhista, e se for filiada a algum sindicato, procure-os e relate o ocorrido. Eles poderão ajudá-la.
      Grave o seu retorno ao trabalho, as funções que irá desempenhar, e até o local e materiais de trabalho que lhe oferecerão.
      Tudo isso pode ser prova de Assédio num futuro processo contra a empresa.
      Se for para lhe deixar na "geladeira", é melhor que lhe deixem em casa apenas recebendo o salário. Isso pode!
      O que não podem é destratá-la e desrespeitá-la.
      Esperamos tê-la ajudado.
      Escreva-nos contando o desenrolar dos fatos para assediados@gmail.com.
      Um abraço
      Assediados

      Excluir
  10. Tive a 2 meses atrás uma Convulsão fiz exames e fui a 1 medico disse que tinha epilepsia me deu um remédio que quase morri passei mal no trabalho pois opero maquina agrícola, então decidi ir a outro medico um neurologista ele disse que só uma convulsão não era conclusiva para epilepsia pois não tive mais convulsão então ela me passo para um psiquiatra ele disse que meu caso era emocional mas me deu um medicamento para não dar mais convulsão e estou tomando ate hoje dia 28/05/2015, mas a usina pediu um laudo e psiquiatra deu um que disse que estou estável tomando os medicamentos e que era para pegar um laudo com a opinião da neuro, então pequei e ela pois que seria necessário mudar de função, ta ate ai tudo bem. Mas já esta terminando este mês e estou na usina sem fazer nada, escutando reclamação, e piadinha de colegas de trabalho, vou todos os dias bato o ponto e fico la parado vou atrás para saber o que vão fazer e não me dão resposta alguma. Na ultima vês o Supervisor disse que ia tirar minha CNH, para não poder dirigir eu já estou sem saber de mais nada o que faço?.

    ResponderExcluir
  11. Bom dia tudo bem?
    Me chamo Junior e gostaria que me tirasse uma dúvida.
    Meu horário fixo na empresa é das 16 as 22 hs e meu gerente pediu para que eu entrasse as 10 da manhã porém deixei claro que nesse dia não poderia ir devido um compromisso...chegando o dia de trabalhar ele me avisa que o escritório da empresa pediu para que eu ficasse em casa.
    minha dúvida é eles podem desconta esse dia ou isso também pode ser considerado assedio moral?

    desde já Grato!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa pergunta referente ao desconto só a empresa poderá responder.
      Boa sorte!

      Excluir
  12. Boa tarde.
    Muito bom encontrar um espaço como este que, se não pode resolver nosso dilema, ao menos serve como uma canal de desabafo.Sou funcionária municipal e atualmente cedida a Autarquia ocupando o cargo de responsável técnica. Na verdade apenas assino, tenho acesso ao sistema apenas para consulta e não tenho qualquer contato com o trabalho da contabilidade, os empenhos me chegam prontos, muitas vezes meses depois do ocorrido e nem sempre corretos. Ai rezo, assino e continuo rezando. Há uns 3 meses estou isolada numa sala e não faço nada, absolutamente nada o dia todo, só cumpro horário. Já me colocaram no atendimento e agora estou isolada em uma sala, numa mesinha pequena no canto da sala, sem acesso a telefone, sem executar trabalho algum e nem mesmo ter contato com os demais funcionários. Gostaria ao menos de poder ficar em casa e não ter que me submeter a um ambiente degradante como este. Essa situação além de constrangimento, humilhação, assédio emocional/psicológico e clara perseguição, fere os princípios legais. Tem funcionário daqui cedido a outro órgão, tem Cargo em Comissão e faxineira executando o trabalho que eu como funcionária do quadro, embora cedida, poderia e deveria estar fazendo. O que posso fazer para não ser conivente com a situação? Estou recebendo sem prestar qualquer trabalho, mas por outro lado, se reclamar ou denunciar poderia ser ainda mais perseguida e prejudicada pela administração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi boa noite, eu sou motorista de onibus eu estou desmpregado a 6 meses e não consigo se quer fazer um teste pratico em uma empresa na minha cidade, eu não sei se e por questões pessoais mais ja enviei o meu curriculo 4 vezes e não me chamam um amigo meu que e diretor do sindicato entrou em contato com o instrutor da empresa que o informou que o meu curriculo havia sumido o que posso fazer a respeito eu sou chefe de familia tenho as minhas contas e estou nesta situação a empresa esta contratando inclusive tenho amigos que enviaram curriculo depois de mim e ja foram contratados. me ajudem por favor

      Excluir
  13. Boa tarde sou fernando trabalho em uma empresa de segurança onde estou na geladeira a 4 meses trabalho 12x36diurno estou sem posto como reserva tecnica em casa tirei ferias em agosto em outubro venceu outra estao me colocando de ferias 05/11 .me ligao em cima da hora e fala para ir cobrir cidades ao redor da regiao indaiatuba.so quando precisao me chamao estou sem uniformes a mais de dois anos e o chefe do meu chefe esta unido com ele nao tenho a qem recorreR estao todos contra mim nao me dispença me segurao e fica mandando em varios postos .entro as 06:00 mas ligao no meu plantao normal em casa as 5:30 encima da hora e fala vai cobrir posto tal depois fico alguns dias em casa eles me ameaça e fala fica com telefone ligado se eu ligar e vc nao atender ja estara com falta. O que faço ??a quem recorrer como agir continuo aceitando isso mandei email para o operacional do meu chefe mas nunca me retornou meu chefe manipulou ate minha escala e por lei todos vigilantes tem direito a tcket refeicao e feriado 100% mas ele alega que como estou de reserva tecnica em casa nao tenho direito aos dois beneficios isso pode?? Grato

    ResponderExcluir
  14. a empresa me mandou embora apos eu ter passado da experiencia, aos 4 meses. ELA ,pra nao me pagar, pos a data de saida errada, com diferença de dias: ela colocou dia 13out. Eu trabalhei ate 28out.OBS:ENTREI 16julho.Me fez assinar na correria os papeis p eu nao ver. Eu falei q tinha provas porque é uma empresa d monitoramento 24hs e q eu iria entrar na justiça se ela nao concertasse. A empresa me chamou , me trataram q nem cachorro dizendo q eu ia cumprir aviso e q ele ja estava correndo pois ela pos a data do dia 28. e que eu ia cumprir o aviso calada, sendo q todos conversam e nossa funçao nao exige. Quero saber se posso usar as cameras deles p provas contra eles mesmo pq amanha ja começo, Percebo q estao prontos p me humilhar. e os funcionarios la tem medo deles e la os funcionarios sao parentes deles.Os outros q sao so 2, sao novos. EMPREGO aqui é muito dificil e eles se aproveitam disso

    ResponderExcluir
  15. Estou desde o início do mês passado sem atividades. Por quanto tempo preciso esperar para pedir rescisão indireta do contrato de trabalho. Todos os dias solicito por e-mail atividades e, ou sou ignorado ou é respondido que a empresa está empenhada em achar atividades, mas sem previsão. O que fazer?

    ResponderExcluir
  16. Trabalho na empresa a 16 meses como auxiliar de engenharia e em julho terminei a faculdade de engenharia civil e a empresa veio me informa que não poderar me promover como engenheiro, para não me mandar embora, disse que me ajudaria me mantendo até eu conseguir um emprego na área e ai posteriormente iria fazer um acordo para eu retirar meu fundo de garantia, parece ótimo mais , só que como exercia a função de engenheiro (mesmo sendo auxiliar no cargo ) eu tinha um carro, tinha prerrogativas devido a função etc.. Acho que empresa queria que na reunião eu desistisse e pedisse a conta, mais não fiz e aceitei tudo, agora vou para obra de ônibus, são 3 onibus, me tiraram todas a regalia etc.. Tudo para eu pedir a conta, ai nesse momento disse que a parir de agora sou o auxiliar e então estou a disposição para exercer minha função somente é vou comprar meu horário e não trabalho nos fim de semana e nem feriado! Só que como para auxiliar não tinha servi-lo pra mim a empresa pediu para eu ficar em casa, para reduzir o custo dela e também para que eu possa procurar melhor o emprego novo. Meu medo por que conheço a empresa e não tem nada de postura ética e honesta, tenho medo que ela possa me prejudicar, como abandono de emprego ou não pague meu salário! Pode me ajudar ?

    ResponderExcluir
  17. Trabalho com callcenter porém tiraram meu acesso, estou indo trabalhar mas nao me deixam logar.fico na empresa sem fazer nada o dia inteiro. .e eles nao dão nenhuma satisfação. .e so ouvindo piadinhas de outros funcionário. Ex: to na vida boa, nao faco nada, nese caso tenho que ficar ate o termino do expediente ou posso ir embora?..é muito constrangedor.

    ResponderExcluir
  18. Eu tabralho em uma empresa terceirizada aqui em Brasilia-DF, com um mês alguns dias a empresa me pediu pra mim pedir conta e no mesmo dia me contrataram na msm empresa eles dizeram que era pra fazer uma simples tranferencia de pois eu trabalhava no aeroporto e o contrato de la era de Goiania-Go, então eu tinha que passa para o contrato de Brasília sendo a msm empresa, bom agora eu vivo sendo joga de um lado pro outro tirando férias dos funcionários (substituindo) eu já to cansando disso eles não arrumam Porto fixo pra mim, e agora oq faço!????

    ResponderExcluir
  19. Boa Tarde trabalho em uma administradora de condominio, estou de 6 meses de gestação, desde de Dezembro de minha ex gerente deu um jeito de me tirar do meu cargo se juntando com a gerente geral, com a desculpa q eu iria cobrir as ferias em outro setor, sem mas sem menos, um belo dia simplesmente sem me dar explicação outra funcionaria chegou com suas coisas de trabalho para assumir minha função, sai sem reclamar mas não entendendo, fiquei 2 semanas sem auxilio e mal aonde sentar, ate a funcionaria sair de ferias. Cobri 20 dias das ferias dela, aonde o combinado seria depois q a funcionaria voltasse ou eu voltava pro meu setor ou ia ver algo melhor e mas tranquilo pra mim.
    Enfim desde de Dezembro não vejo a gerente geral, fiquei totalmente sem rumo, indo reclamar com uma outra funcionaria que é o braço direito da Direto da empresa, me enrolaram mas uma semana, ai a Diretora geral me chamou para conversar dando desculpas e fazendo q me entendia, prometendo q ia cobrir ferias te eu sair de licença, so que nada mudou, estou em um setor q diz q precisavam de ajuda, fico sentada sem fazer nada o dia todo, sem rumo, sem auxilio, so escutando fofocas sobre minha situação, e ninguém responsável para tomar uma atitude sobre mim. Sinto muita dor nas costas, e isso esta me abalando sentimentalmente, pois me sinto muito ansiosa no meu dia dia com essa situação, me sentindo um peso. Quais meu direito nessa situação? E o que posso estar fazendo? Grata Daniela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Daniela!!
      Uso o e-mail como mecanismo de comunicação.
      Qualquer pessoa nesta situação deve relate tudo que está acontecendo a sua chefia imediata e também a chefia superior. Se for conversar pessoalmente, grave a conversa.
      Tudo pode servir de prova no futuro.
      Lembrando que você tem até 2 anos para abrir um processo contra a empresa.
      Perdão pela demora em comentar.
      Boa sorte!
      Assediados

      Excluir
  20. Trabalho em uma empresa onde sou encarregado ocorre que a mesma tem duas equipe e a outra equipe sempre tem serviço equanto que a minha fica até a semana inteira sem serviço reclamei com o empregador e me dise e a crise porém se a outra equipe te serviço não e a crise pois a função e a mesma pergunta isso caracteriza acedido moral se for o que devo faEr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Antônio!!
      Desculpe a demora em comentar a sua pergunta!
      Esperamos que tenha encontrado dentre tantos comentários que tem aqui, algum o tenha ajudado.
      Mas tudo se resume a provas! Mande e-mails, peça explicações... diga o quanto isso está afetando a você e sua equipe... que estão se sentindo péssimos e desvalorizados...
      Tudo isso pode ser usado como prova no futuro caso a solução não apareça.
      Boa sorte!!
      Um abraço
      Assediados

      Excluir
  21. Trabalho em uma empresa a 13 anos, fazia todo o serviço de departamento pessoal, fiscal e a concitação contábil sozinho, há dois anos um dos diretores disse na minha cara que colocaria uma pessoa para fazer tudo que eu fazia e muito mais, tive um problema no ombro e me afastei por 15 dias quando retornei tinha duas pessoas trabalhando em meu lugar, dai fiquei sem fazer nada, atoa o dia inteiro dentro do escritório, até que consegui a cirurgia do ombro e me afastei por 6 meses, só que durante este afastamento fui chamado a resolver alguns problemas da empresa por diversas vezes e sempre atendi. Agora quando retornei para empresa continua da mesma forma sem nenhuma tarefa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Junte provas Anônimo!!
      Mande e-mails aos seus superiores pedindo solução para o que está acontecendo.
      Deixe claro o quanto isso está fazendo mal a você, diga o quanto ter atribuições é importante pra você o o quanto está se sentindo isolado e preterido.
      Guarde todos os emails. Tudo isso é prova caso deseje em algum momento abrir um processo contra a empresa.
      Mas lembre-se sempre, esse é um caminho longo e desgastante que pode levar de 3 a 5 anos. Encontrar uma solução amigável é sempre um ótimo caminho.
      Boa sorte!!
      Assediados

      Excluir
  22. Bom Dia, sou ex colaborador do Sicoob .. Sai de uma cooperativa e fui para outra, e o ex presidente da Cooperativa inconformado com a perda, comunicou o presidente de outra que ja estava contratado ha 1 mês, pedindo para me demitir pois me via como ameaça nos negócios... como fica isso, tenho gravado a conversa em que o mesmo relata o fato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcelo!!
      Procure um advogado trabalhista para avaliar se a gravação que você tem é suficiente para entrar com um a ação.Lembrando que você tem até 2 anos após sair da empresa para abir o processo.
      Boa sorte!!
      Assediados

      Excluir
  23. Bom dia. Primeiramente, parabéns pelo blog. Vejo como um espaço para orientação e esclarecimento.
    No mês de novembro de 2016, meu marido recebeu a informação de uma transferência de cidade pelo seu trabalho. Imediatamente comuniquei a escola que eu trabalhava, avisando que eu estaria me mudando no período de aulas de 2017, entre os meses de maio a julho. Avisei que se a escola quisesse me demitir, não teria problemas da minha parte, se não, eu ficaria ate a data da mudanca e pediria demissão então. Em janeiro minha diretora me ligou citando que a escola não fazia acordos e que não me demitiria. Eu jamais pedi acordo. Eu só queria avisar a escola para eles pensarem no que era melhor para a escola e para os alunos. Claro que eu tinha interesse nos meus ganhos 13°, multa, salários...mas se a escola nao queria, tudo bem. Dito isso, passaram-se as ferias e qual nao foi a minha surpresa no 1o dia de retorno das férias, dentro de um auditório lotado de professores e funcionários...os novos professores foram chamados a frente e dentre eles o novo professor que ocuparia minha vaga. Fiquei surpresa. Todos colegas me olhavam. No intervalo fui perguntar a diretora e coordenadora o que seria de mim? O que fariam comigo? Disseram que eu poderia auxiliar o novo professor. Uma funcionária do RH veio ao lado da conversa e me aconselhou a pedir demissão naquele momento. Fiquei estarrecida e com muita vergonha. Eu disse que estava indo ao RH e que iria pedir minha demissão. Foi o que fiz. Ate hoje sonto vergonha de ter trabalhado nessa escola, que é muito conceituada em Poa. Conversando com uma colega que teve erros no seu contrato de rescisão, fiquei pensando se meu caso não seria danos morais. Mas, gostaria de ter certeza. Muito obrigada pela orientação.

    ResponderExcluir
  24. Boa noite Lara,
    Certamente o que você sofreu e a forma como foi feita poderia ser caracterizado como um dano moral. Resta saber se você conseguirá provas suficientes pra isso, visto que é pouco provável que pessoas que continuam trabalhando na tal escola, queiram testemunhar a seu favor mesmo sabendo do que você sofreu.
    Acreditamos que você deva se consultar com um bom advogado trabalhista para que ele avalie a situação.
    Não é interessante entrar numa disputa que pode levar anos e promete muito desgaste, se você tiver mais chances de perder do que de ganhar. Então cuidado com advogados que não sejam bem conceituados e que estejam interessados apenas em pegar mais uma causa, pois além de perder a causa você ainda corre o risco de além de pagar o seu advogado, ser condenada a pagar o advogado da outra parte. (Nós não indicamos profissionais)
    Lembrando que você tem 2 anos para entrar com ação contra a empresa. Então amadureça a ideia e decida o que será melhor para você.
    Gratos por suas palavras de elogio ao nosso trabalho.
    Um brande abraço
    Assediados

    ResponderExcluir
  25. Boa noite!
    Passando para registar que o blog meu ajudou a tomar uma das decisões mais importantes da minha vida: denunciar a situação de assédio que vivi. Perdi o emprego, mas ganhei a chance de reescrever a minha história. Perdi o salário, mas resgatei os meus valores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anônimo,
      Para nós é uma grande alegria tomar conhecimento do seu resgate.
      Esse é o objetivo do nosso espaço, ajudar outros a pensarem e construirem novos caminhos longe do assédio.
      Um grande abraço
      Assediados

      Excluir
  26. Boa tarde gostaria de tirar uma duvida,mei esposo trabalhou por anos na empresa Maxpreel em Cajamar agora ultimo registro foi de 9anos sofreu um acidente dentro da empresa exercendo outra função que quase lhe rancou a perna, moravamos na casa da empresa por 5 anos onde não podiamos nos ausentar pois teria que ter quem cuidasse dos cachorros e abrisse o portão para os carros que se encontravam na rua,nesta empresa ele era o faz tudo porteiro, manutenção, caseiro, borracheiro, motorista carro pequeno, funileiro entre outros serviços que por muitas das vezes o dono que era o gerente mandava fazer sendo registrado como motorista de caminhão.
    Bom após o acidente ficou afastado por vários meses, assim que voltou a trabalhar começou as ofensas a sessão que ele tomava conta havia sido desfeita suas coisas jogada no lixo inclusive sua biblia,foi chamado de inútil, encostado o chefe dava ordem para fazer algo assim que ia fazer vinha ele e dizia não ter mandado, por varias vezes o chamou para acordar sua demissao,nos deu prazo de 6 meses para desocupar a casa sendo que temos dois filhos menores que se encontravam em ano letivo onde tive que correr para arrumar transferencia pois tinha que mudar e eu havia acabado de ser demitida então estavamos sem saida fomos morar de favor na casa de amigos.
    Ate que por conta do acidente se descobriu uma doença nos ossos,pra ser exato na cartilagem da qual ele sente dores e o impossibilita de algumas tarefas como dirigir por longo período,sendo assim estando sendo humilhado dia apos dia ate de chupa cabra foi chamado por estara sugar a empresa foi demitido,mais tudo isso causou grandes constragimentos ao meu esposo seria possivel entrar na justiça pois a ultima frase do empregador foi : Acho por melhor te demitir para não dar problema pra nos ou melhor pra você afinal eu sou o dono.
    Por favor podem me auxiliar pois meu esposo acha que não da em nada por na justiça por ter sido humilhado apos 25 anos de conhecimento desta empresa pois tem outro registro de quando esta empresa começou, foi demitido este ano mês 08/2017.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Boa noite!
      É possível sim processar esse ex empregador. Na verdade seu marido tem até 2 anos para fazer isso depois da saída da empresa. Entretanto não basta ele ter sofrido tudo o que sofreu. Precisa testemunhas que comprovem tudo isso que você está falando.
      Nosso conselho é o seguinte: procure um bom advogado trabalhista para verificar se as provas que você por ventura tenha, são suficientes para abrir um processo. Lembrando que não vale o sacrifício se as suas provas não forem fortes suficientes para ir frente, pois o seu prejuízo pode ser ainda maior. Converse com um advogado que ele poderá explica-la melhor todos esses detalhes.

      Um grande abraço
      Assediados

      Excluir
  27. Olá Boa Noite
    Me chamo Luana, eu tenho 23 anos e estou cursando secretariado, estou fazendo estagio tem 7 meses, quando entrei me informaram que eu iria entrar as 12:00 e sair as 19:00 mas 1 mês depois comecei a entrar as 13:00 e sair as 20:00, depois entrava as 08:00 e saia as 15:00 (disseram que era para cobrir férias) depois voltei para o horário das 12:00 as 19:00, claro eu não gostei pois minhas noites de sono ficaram muito ruins, depois 1 funcionária foi mandada embora e eu comecei a fazer algumas coisas que eram de sua tarefa, começaram a pedir pra eu tirar o lixo (não liguei) e lavar a louça (também não vi problema) mas se não faço 1 dia a minha chefe reclama comigo e diz que estou errada, ela pede pra eu fazer coisas totalmente diferente do que esta no contrato de estagio, como buscar medicamentos dela na farmácia, comprar produtos para ela não para a empresa, podar plantas, ir a casa dela buscar celular, e agora esta pedindo pra eu entrar mais cedo as segundas e terças (1 hora mais cedo especificamente) pois a outra funcionaria mudou o horário de trabalho, falei que na sexta feira vou entrar ao 12:00, ela mandou mensagem no meu whats app falando que não, porque tenho que entrar as 11:00 por que ela tem compromisso e eu tenho que ficar na empresa. Ela já disse que ia descontar do meu salario por eu ter esquecido de fazer 1 tarefa, avisei o pessoal do estagio e eles falaram pra ela que não pode, me sinto muito mal trabalhando ali, passo o dia todo sem fazer nada, só os 3 últimos dias do mês e 3 primeiros que faço alguma coisa,não recebo a mais por esses dias que entro mais cedo, querem agora que eu faça proposta, faça captação de clientes, também vou no cartório que fica longe tenho que ir a pé o que da quase 30 minutos pra ir e 30 pra voltar. Me deixa muito triste, pois o estágio é para aprender mais e colocar em prática tudo que aprende, mas me sinto um faz tudo que faz o que precisam a hora que querem, choro muito pois me sinto inútil e sinto que estou perdendo tempo, mas preciso do dinheiro para pagar faculdade e me sustentar pagando comida agua e luz. Me diz, estou fazendo drama? eu estou sendo a errada nessa história? preciso saber. Obrigada

    ResponderExcluir
  28. Prezados;

    Boa surpresa encontrar esse blog, parabéns.

    Gostaria de passar o seguinte caso:

    Médico contratado para trabalhar em atendimento ambulatorial de pacientes previamente agendados de 15 em 15 min entre 7 hs e 17, computando o total de 36 pacientes.

    O contrato escrito estabele jornada entre 7 e 19 hs (12 hs com uma h de almoço)

    Ocorre que durante 4 anos, a chefia permitia que o médico fosse embora quando atendido o último paciente, e isso podia ocorrer entre 17 e 17:30 hs. Orientava-se também que o médico assinasse o ponto (manual) sempre as 19 hs, não britanicamente.

    Após esses 4 anos, a empresa não está permitindo mais o médico sair antes das 19, mesmo que a agenda tenha sido terminada bem antes, obrigando o médico a permanecer na empresa sem fazer nada até as 19, sob pena de desconto salarial, alegando que o contrato assinado prevê tal jornada.

    Pergunto se houve a incorporação no contrato da condição mais benéfica pela primazia da realidade, ou se o empregador pode alterar a jornada após tantos anos, baseado no contrato inicialmente assinado.

    A assinatura do ponto as 19 anteriormente permitida pode ser revogada pela empresa?

    O fato do médico ter assinado nos 4 anos às 19 hs, pode configurar fraude, mesmo havendo controle e permissão para que o médico saísse mais cedo?

    Se terminada a agenda de atendimento as 17 hs, cumprindo assim o trabalho e atendimento de todos os pacientes marcados, haveria fraude em assinar as 19 e sair as 17, sendo que nesse intervalo não há mais trabalho?

    Obigar o médico a permanecer nesse intervalo sem atendimento, pode configurar assédio moral, mesmo havendo contrato escrito prevendo jornada até as 19?

    Descontado o salário caso saia mais cedo, é forma de assédio?

    Desculpem tantas pergunta, mas grato a quem puder orientar-me

    ResponderExcluir