"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

“Síndrome de Burnout”



O que acontece quando o assédio no trabalho é extremo e constante. Isso pode causar alguma doença específica?

Uma patologia que nos chama a atenção e que temos um interesse especial é a Síndrome de Burnout.

Esta é uma doença exclusivamente laboral. Explicando de maneira simples, ela acontece quando a pessoa não aguenta mais seu trabalho, ela literalmente “queima” até o último suspiro.

Na revista Você S.A. de 01/2007, a  Prof. Dra Alexandrina Meleiro, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP definiu a Síndrome de Burnout como:
“A pessoa fica bem em qualquer lugar, menos no escritório, pois não sente mais satisfação na realização das tarefas que antes eram prazerosas. Geralmente ela se acha lesada porque a empresa não tem reconhecido seu esforço e dedicação. Muitas vezes trabalha o dobro ou o triplo do colega do lado, só que o chefe não enxerga essa diferença.”
Acredita-se que 40% da população economicamente ativa sofre deste mal. O mais assustador é que acontece apenas com pessoas altamente competentes e comprometidas.

A Síndrome de Burnout ocorre quando:
•A pessoa é exigida além dos seus limites. 
•Existe um sentimento de discrepância entre o que o trabalhador dá e o que recebe em troca. 
•Em resumo há uma íntima relação com o assédio no ambiente de trabalho.

Eu chamo de “Doença dos Ds”, por quando ela se instala produz na pessoa os seguintes sentimentos:

*DESAMPARO: Não importa o que faça, certo ou errado, não terá apoio nenhum.

*DESESPERANÇA: Não importa o que faça ou deixe de fazer, nada vai melhorar.

*DESVALIA: Não importa o que faça, não terá valor algum.

*DESPROPÓSITO: Não importa o que faça, o resultado de seu trabalho não irá fazer diferença para ninguém.

*DESPERSONALIZAÇÃO: Não importa o que faça, qualquer um pode fazer e obter os mesmos resultados.

*DESMOTIVAÇÃO: Não importa o que faça, não importa o resultado, você não terá mérito nenhum, não receberá nada por qualquer resultado positivo, não faz mais do que a obrigação em fazê-lo.

*DESGASTE: Não importa o esforço que você utilize, quanto menos se esforçar mais cansado irá ficar.
*DESARMONIA: Não importa o que faça, as peças não se encaixam.
E por fim a pessoa finaliza com o último “D” ela DESISTE.

É muito sério, pois é um problema relacionado com o sistema. 
Uma celebre frase dita no filme “Tropa de Elite”: “O sistema só se preocupa com os problemas do sistema”, é uma verdade, pois o indivíduo nada pode fazer contra o sistema.
Ou melhor… quase nada. Se a pessoa tomar uma atitude firme e valente ela consegue reverter este quadro.
Com apoio e motivação o sistema doente pode ser enfrentado e vencido.

Marlus M. Marconcin

Nenhum comentário:

Postar um comentário