"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Sindicato dos Vigilantes de Rondônia Denuncia Empresa por Assédio Moral



“Empresas de vigilância e segurança se instalam em Rondônia, lucram, mas não investem no Estado ou em melhorias para a categoria”, denuncia o presidente do SINTESVRO 


“Assédio moral, perseguição e ameaças de demissão a funcionários que trabalham na empresa de vigilância TRANSEGURO/PROTEGE, estão chegando ao nosso conhecimento. As ameaças estão sendo feitas pelo senhor Ricardo Almeida, gerente geral da referida empresa, pessoa que chegou a pouco tempo em Rondônia, mas já demonstra postura intransigente e de ditador, prejudicando os profissionais do Estado que lutam por melhorias, impedindo também que o sindicato lute pelos direitos da categoria”, denunciou o presidente do Sindicato dos vigilantes de Rondônia-SINTESVRO, Paulo Tico, em entrevista ao jornal Rondôniadinamica, na última sexta-feira.



Ainda de acordo com Paulo Tico, “A referida empresa já foi denunciada na Delegacia Regional do Trabalho (DRT), e multada por três vezes, onde constam três autos de infração. Entre as denúncias, a mais grave e que prejudica imensamente a categoria, é a não concessão do intervalo de 11 horas para descanso, não só referente aos profissionais da área de vigilância, como também, profissionais que atuam nos carros-fortes e no setor administrativo”, afirmou o presidente da SINTESVRO.


Empresa milionária se nega a pagar dívida

O presidente do SINTESVRO informou que todas as empresas de vigilância de Rondônia já estão pagando o montante de R$ 7 milhões devido a categoria, referente a intra-jornada retroativa. Mas que a TRANSEGURO, empresa milionária é que atua em vários estados do Brasil, é a única que se recusa a pagar a dívida aos trabalhadores do Estado.


Nova denúncia


O Sindicato dos Vigilantes de Rondônia-SINTESVRO, irá fazer uma nova denúncia no Ministério Público do Trabalho (MPT), informou Paulo Tico, desta vez denunciando a empresa TRANSEGURO/PROTEGE , por ameaça e perseguição há vários funcionários. Segundo Paulo Tico, a gerência da empresa ameaçou os trabalhadores, caso estes se candidatassem a membros da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes-CIPA, que tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho. “Caso os profissionais concorram a membros da CIPA, eles estariam assinando suas cartas de demissão, ameaçou o "novo ditador" da TRANSEGURO”, denunciou Paulo Tico.



Ainda conforme o sindicalista, o SINTESVRO fez um acordo coletivo com as empresas de vigilâncias, referente a pagamentos das intra-jornadas retroativas, devidos a categoria, mas que durante audiência na Justiça para firmarem acordo, “O senhor Ricardo Almeida usou de má fé, dizendo desconhecer o acordo, sendo que o mesmo esteve no Sindicato pessoalmente prometendo o pagamento da dívida”, declarou Paulo Tico.


Exploração
Segundo o presidente do SINTESVRO, “Várias empresas de vigilância e segurança de outros estados, se instalam em Rondônia, ganham dinheiro, lucram com as prestações de serviços, mas não investem praticamente nada no nosso estado, na área social ou em melhorias para a categoria. O que eles fazem é explorar nossos vigilantes, perseguindo e ameaçando os profissionais”, finalizou Paulo Tico.
 Fonte: http://www.rondoniadinamica.com/arquivo/sindicato-dos-vigilantes-de-rondonia-denuncia-empresa-por-assedio-moral-,29298.shtml

6 comentários:

  1. as empresas estão fazendo com os vig. como eles bem entende e bem quer. e os trabalhadores não tem direitos de falar ou fazer nada , pois uma vez q todos precisa dos seu empregos de vig.
    enquanto somols umilhado a todo tempo.
    Onde, como, o que devemos fazer?

    ResponderExcluir
  2. Meu caro Vigilante,
    Infelizmente esta é a realidade de muitos no nosso grande e amado Brasil.
    O que fazer? Esta é sempre a pergunta que não quer calar.
    Em primeiro lugar reúna provas. Grave, anote os fatos em agenda sem rasuras. Descreva o fato, as pessoas envolvidas e as testemunhas. Não confie apenas na sua cabeça e no que imagina que irá lembrar. Consulte um advogado trabalhista que será a melhor pessoa a orientá-lo neste momento. Se tem sentido algum efeito físico ou emocional procure um médico de sua confiança e exponha o caso. Sugiro que leia o post de 29/01/2012 ASSÉDIO MORAL: A DIFÍCIL RELAÇÃO DO ASSEDIADO COM A EMPRESA. Lá você encontrará orientações bastante claras.
    http://www.assediados.com/2012/01/dificil-relacao-do-assediado-com.html
    Se desejar contar a sua história com detalhes, escreva para assediados@gmail.com pois temos interesse em publicar a realidade de todos os cantos do país, no que diz respeito ao assédio moral no trabalho.
    Atenciosamente
    Assediados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade mais nem sempre podemos contando com nossos parceiros que serviçp pois nunca querem dar depoimentos ....e complicado.

      Excluir
    2. Verdade que é complicado. Todos querem defender apenas o próprio umbigo, e com isso muitas vezes perdem a oportunidade de tirar de cena verdadeiros monstros aterrorizantes.
      Mas você pode reunir provas sem o conhecimento dos envolvidos, gravando as situações. Pode também procurar por colegas que já saíram da empresa e portanto não tem dada a perder.
      A inteligência precisa ser sua maior aliada.
      Boa Sorte e não deixe de voltar.
      Abraço
      Assediados

      Excluir
  3. Esse paulo é outro q nao paga ninguem...trabalhei p ele e posso falar cm propriedade!

    ResponderExcluir
  4. Quem ja trabalhou na rondonia servisos,firma da qual ele é o dono,sabe muito bem como é!

    ResponderExcluir