"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Jornalista Denuncia Assédio Moral


Amigo Ricardo.

Hoje, segunda feira (ontem) está completando 35 dias que a minha irmã Maria Isa Silva, com 30 anos de serviço na CAERN, está em coma na UTI do hospital da Unimed.

Ela sofreu um AVC Hemorrágico, com rompimento de aneurisma, no dia 6 de setembro último.

Saiu direto do trabalho, a Regional Litoral Sul da Caern, que fica ao lado do campus universitário da UFRN, para o hospital, de onde até hoje não saiu, sendo muito grave o seu caso.

Colegas de trabalho que a conduziram ao hospital informaram para a família que ela havia sofrido forte pressão moral do chefe da unidade, que naquele dia a colocou, inclusive para fazer vistoria de uns carros que estavam sendo entregues à companhia.

Antes de sofrer forte dor de cabeça, por causa do assédio moral, ela havia se despedido de alguns colegas, dizendo que depois do feriado do dia 7 ia pedir para retornar ao escritório central, mesmo que ficassem sem nenhuma função, porque já não agüentava a pressão da chefia.

Com base nessas informações dos próprios colegas de trabalho, a família, por meio de Alcimar, que é advogado, fez uma correspondência à diretoria da Caern, pedindo o afastamento do chefe (Lamarcos Teixeira) e abertura de uma sindicância, com acompanhamento de um advogado indicado pela família.

O documento foi entregue no dia 21, depois de uma conversa entre nós (Alcimar e Aldemar) e dois diretores da CAERN, acompanhado pelo prefeito de Jucurutu, Júnior Queiroz, que como amigo da família tomou a iniciativa de cobrar uma posição.

Os dois diretores concordaram com as reivindicações e pediram para que elas fossem encaminhadas por escrito.

Somente no dia 6 deste mês chegou a resposta, entregue na portaria do prédio onde funciona o escritório de Alcimar.

A resposta é uma preciosidade. Muito evasiva. E veja que está assinado por quatro diretores. Minha irmã, até o início dessa administração da CAERN trabalhava na Comissão de Controle Interno.

Há inclusive documento do Ministério Público elogiando a sua conduta e a seriedade com que cumpria as suas atividades.

Ela, por exemplo, advertia até diretores que não podiam ter contratos de serviços com a companhia, de acordo com o que determina o regimento interno.

Seguem em anexo a correspondência enviada à CAERN e a bela resposta da empresa, assinada por quatro diretores.

Eles iniciaram a sindicância sem a comunicação prévia e sem o advogado da família.

O possível causador do assédio moral não foi afastado, conforme o combinado e na semana passada estava viajando para o Rio Grande do Sul, de acordo com informações que conseguimos de dentro da própria empresa.

Fazer uma sindicância com a presença do chefe é a mesma coisa que jogar a raposa dentro do galinheiro.

A cada dia o caso da minha irmã se agrava, sem que oficialmente, a companhia tenha feito sequer uma visita ao hospital.

É um caso que pode ter consequencias, pois o meu pai está com 95 anos e minha mãe com 94. É com eles que Isa mora.

Veja os documentos (acima) e divulgue o que for possível.

Agradeço em nome da família.

Aldemar

Observação do Fator RRH:

O blog abre espaço para a denúncia, por considerá-la grave e por conhecer Aldemar de Almeida e Alcimar há muitos anos. Aldemar é jornalista,  professor do Departamento de Comunicação Social da UFRN e Alcimar, além de advogado, professor da UFRN e ex-delegado da Receita Federal no RN.

A Empresa, por sua vez, também não está se negando a atender e a investigar a denúncia. Mas a família não se mostra satisfeita com a postura da Caern. 

Fonte: http://www.fatorrrh.com.br/2011/10/jornalista-denuncia-assedio-moral-na.html 


A Diretoria da Caern lamenta informar o falecimento da colaboradora MARIA ISA SILVA, ao meio dia desta quarta feira, (19), após permanecer internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Unimed, durante 42 dias. O óbito foi causado por Acidente Vascular Cerebral (AVC) e infecção generalizada.
Isa trabalhou na empresa durante 23 anos, ocupando diferentes funções, entre elas a de Chefe da Comissão de Controle Interno (CCI) e por último, a de Chefe da Unidade de Administração Financeira da Regional Natal Sul.
Deixa o filho João Paulo de Almeida e Silva, os pais Mardelice Lacava da Silva e Alcindo Arnaldo da Silva, além de quatro irmãos...
O sepultamento aconteceu no Cemitério Morada da Paz, em Emaus, Parnamirim. 


Fonte: http://www.saude.rn.gov.br/contentproducao/aplicacao/sesap/imprensa/enviados/noticia_detalhe.asp?nImprensa=0&nCodigoNoticia=27676



P.S. Assediados: Assédio Moral Adoece e Mata 

2 comentários:

  1. Puxa que história triste, a pessoa trabalhar tanto tempo pra uma empresa e morrer assim. Esse negócio de assédio mata mesmo, é papo sério. Tô chocada. E isso é o que chega a imprensa, imagina quanta gente não tá morrendo po ai...

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelo comentário.

    É preciso tomar consciência da gravidade e das consequências do Assédio Moral no Trabalho.
    Seja bem-vinda e volte sempre.

    Assediados

    ResponderExcluir