"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Funcionário denuncia chefe por assédio moral em banco

Ação civil foi ajuizada por procurador do Trabalho que dá dicas do que pode ser feito pelos que são vítimas de assédio moral no local de trabalho.

 

Redação Jornal Coletivo

Barbosa disse que o assédio moral mina a solidariedade entre as pessoasBarbosa disse que o assédio moral mina a solidariedade entre as pessoas
O procurador do trabalho Luís Antônio Barbosa da Silva acaba de ajuizar ação civil pública contra um funcionário do Banco do Brasil, lotado na Regional de Salvador, na Bahia,  sob a acusação de assédio moral, por expor subordinados a situações ultrajantes e humilhantes. A ação foi proposta pelo Ministério Público, após denúncia do Sindicato dos Bancários daquela cidade, que  intimou a direção da instituição bancária a verificar as acusações após ter ficado provado que o gestor tinha o hábito de colocar apelidos vexatórios nos subordinados que não alcançavam as metas da instituição, bem como fazer ameaças de perda de cargo comissionado, além de incentivar a prática de atos contrários às normas internas do banco, entre outras ações incompatíveis com o ambiente de trabalho.
Na ação, o procurador pede que o funcionário cesse a prática ilícita e que o banco elabore um programa de prevenção ao assédio moral no ambiente de trabalho. “O assédio moral dissolve os laços sociais no trabalho e mina a solidariedade entre pessoas”, explicou. Caso seja condenado, o BB deverá pagar indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 2 milhões, além de multa de R$ 50 mil por cláusula descumprida.

Denúncia não ameaça o emprego

Para Barbosa da Silva,  assédio moral é quando o chefe ou um colega de trabalho expõe o trabalhador, repetidas vezes, a qualquer situação humilhante e constrangedora, durante a jornada de trabalho. Segundo ele, neste caso, a vítima deve procurar a unidade de RH da empresa,  denunciar ao Ministério do Trabalho, ao sindicato ou ajuizar processo judicial. “É bom ficar claro que ninguém pode ser mandado embora por denunciar tais casos. A dispensa por esse motivo caracteriza discriminação. Caso isso aconteça, o fato deve ler levado ao conhecimento do MPT, que poderá ajuizar uma ação para que o trabalhador seja readmitido”, finalizou.

Fonte:Coletivo

 

5 comentários:

  1. Ah, tá, legal... O assediado denuncia e o Ministério Público do Trabalho PODERÁ ajuizar, ou não..., uma ação para que o trabalhador seja readmitido. Eu sou assediado e sei como esses assediadores são ardilosos, usam a inteligência para praticar a maldade e saem como bons moços no final. Ainda nos falta proteção contra essa situação, pois o assediado ainda tem que provar muita coisa, que muitas vezes não consegue provar. A palavra do assediado deveria ter tanto valor como em casos de estupro, pois a violência é igual ou pior. Eu me sinto estuprado todos os dias e tenho que ficar calado, diante de pessoas que sabem o que está a acontecer e fingem não saber.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compreendemos a sua indignação. Afinal, não fosse pelas mazelas do assédio moral no trabalho, não estaríamos aqui. Nós, pobres e indefesas vítimas. Abusadas, estupradas, amedrontadas e acuadas, tendo que provar o obvio, o que todos sabem, mas não admitem. Por ignorância, medo, ou simplesmente por amos às suas próprias cabeças.
      Agradecemos sua visita e comentário, e buscaremos colaboradores que possam deixar esta e outras questões mais claras.
      Atenciosamente
      Assediados

      Excluir
  2. Isso todo causa muita revolta e ódio no trabalho. Sou funcionário do Banco do Brasil ha pouco mais de 2 anos e já estou mais que convencido de que não existe respeito algum aos nossos clientes, tão pouco aos funcionários. Se você vende (mesmo utilizando formas anti-éticas, ilegais, como a venca casada, ou indo contra as Instruções Normativas do banco) vc é aplaudido, mas basta uma venda não concretizada ou um LOB perdido, que já vem ecima de vc feito urubus, com piadinhas e tudo mais. Tenho um gerente que é um absurdo de arrogante e sem noção, ele interompe o atendimento sem pedir licença e ainda nos acusa de não estar sabendo atender (frente aos clientes exaltados), e isso tudo na frente dos demais clientes e funcionários.
    A ouvidoria interna do banco é uma piada, não funciona, não existe se quer um 0800, o funcionário tem q ligar paro o ddd 61, de brasilia, e claro que não sera da agencia né!.
    Se por um lado o discurso do banco é que devemos ter ética e respeitos aos clientes, pq nos forçam então a vender a qualquer custo, pq so quem age desse forma é promovido?
    Agora o discurso é o chamado BOMpraTODOS. Me pergunto, todos quem? Todos os gerentes? Todos da diretoria? De fato tivemos redução nas taxas, mas existe a ação de muita venda casada sobre isso.
    Acho isso um assedio moral da melhor qualidade, contra o cliente e principalmente contra os funcionários!!
    Como denunciar? Como argumentar? Eles são muito espertos e sempre se dão bem (os gerentes), afinal, eles estão jogando o jogo do banco, e são protegidos por "eles".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdadeiramente compartilhamos a mesma revolta e indignação, por isso estamos aqui, por isso existimos.
      Muitas vezes temos a sensação de fracasso, de não ver saída, de não ter para onde ir... mas é assim mesmo, é uma cultura arraigada há muitos séculos que precisará de trabalho incansável para ser mudada.
      Acompanhando relatos no Brasil e no exterior, luzes se ascendem, ainda que menos do que gostaríamos... mas vemos processos sendo vencidos por assediados, legisladores trabalhando em projetos de lei, sindicatos tomando o partido dos trabalhadores e buscando solução. E assim vai sendo construída uma nova cultura onde de fato a vida no trabalho possa ser 'BOA PRA TODOS'.
      Enquanto isso não acontece, sugerimos a todos os assediados que gravem e filmem os arroubos de arrogância dos seus chefes e de quem mais tenha atitudes de assédio e desrespeito no trabalho. Só mesmo a posse de farto material que ilustre bem tais desmandos é que será possível dar um basta a tais situações.
      Gratos por seu comentário, esperamos que volte sempre.
      Atenciosamente
      Assediados

      Excluir
  3. Boa noite, trabalhei durante 1 ano e 4 meses como consultora Comercial home office. Desde que fui contratada pelo diretor da empresa a minha superintendente dizia que era contra minha contratação. Me empenhei muito para provar o meu potencial porém ela não respondia meus emails de propostas com agilidade as vezes levava mais de 1 semana para responder, depois de eu cobrar muito. Toda vez que eu ligava a recepcionista voltava dizendo que ela me retornaria e nunca retornava. Comecei a perguntar para as colegas que trabalhavam mais próxima como era. Elas diziam que era correria e o fato de eu estar longe é que dificultava, mas que era bobagem eu me preocupar. Perdi alguns negócios. Até que um dia uma colega disse que não era para eu ficar ligando pois a " chefe" não gostava de me atender que se eu ligasse não era para passar a ligação para ela.Dai em diante foi só piorando, tivemos uma reunião e ela pois um vídeo de um pastor pregando, quando acabou a reunião quis falar comigo a sós e disse que o vídeo foi só pra mim é que eu não estava dando resultado tentei argumentar que ela precisava me apoiar mais sem chance. Resolvi enviar um email para o diretor relatando minhas dificuldades e pedindo ajuda para minha surpresa ele mandou ela vir almoçar comigo e me mandar embora. Estou extremamente abalada emocionalmente me sinto um lixo como profissional.
    Posso processa la por assédio moral?

    ResponderExcluir