"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre"

"Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre" Lance Armstrong


segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Relato 1 (Mudança de Chefia)

Há mais ou menos 3 anos a chefia do meu trabalho foi mudada. A nova chefia chegou aparentando muitos poderes e com atitudes muito agressivas com funcionários, em especial com os que não eram CLT e que consequentemente foram solicitando transferência para outros lugares por não conseguirem suportar tal gestão. O clima geral era muito tenso, e sempre era possível encontrar alguém chorando no banheiro.

Algum tempo depois da sua chegada, foi-me solicitado que assinasse um memorando afirmando ter participado de um determinado curso. Ao ver o tema do curso percebi que não o havia feito e apesar de ter escrito o meu nome, risquei e não carimbei. Na reunião semanal, alguns minutos depois, me justifiquei com a chefia por não ter assinado. Afirmei que não assinara porque não havia participado do curso e não sabia do que se tratava. Para minha surpresa e espanto, ela gritou comigo me mandando ir estudar diante de toda a equipe de trabalho. Todos os presentes se olharam incrédulos e nada comentaram. Senti-me imensamente envergonhada e humilhada.

Após o ocorrido pesquisei o tema do memorando e pedi para falar com ela. Disse que achava que ela tinha sido extremamente agressiva comigo e que me mandar estudar não era um problema, pois eu tinha sede de conhecimento. Sua reação foi apenas rir.

A partir daí procurei me manter mais distante, porque as agressões estavam sempre presentes, em atitudes de deboche com os que saiam, gritos, e comentários maldosos, que tornavam o ambiente de trabalho muito opressor.



Infelizmente este foi só o princípio das minhas dores e sofrimentos.

6 comentários:

  1. Essa é uma dentre tantas outra formas de assédio.
    Para saber mais, clique em http://efoadvogado.blogspot.com/2012/02/empregado-humilhado-sera-indenizado.html

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente as modalidades de assédio vão se manifestando das mais diversas formas.
    Por isso estamos aqui, para que a cada dia, mais pessoas tomem conhecimento desta desgraça que é o assédio moral no trabalho. Para que a cada dia saibam como se defender e como reunir provas contra seus agressores.

    ResponderExcluir
  3. Também sou vítima de assédio moral.E o que me deixa mais indignada, é que mesmo os atos dos meus superiores serem caracterizados por abuso de poder e exposição do trabalhador a situações de frequentes humilhações e constrangimento. Ao procurar ajuda jurídica, a advogada que consultei ainda me desanimou, me aconselhando a mudar minha postura diante da empresa e realmente ver o que eu quero, pois se eu levar isto adiante, a única coisa certa será a minha demissão, visto que dificilmente encontrariamos alguém para testemunhar, mesmo aqueles que frequentemente passem pelos mesmos problemas.

    ResponderExcluir
  4. No assédio moral, quase tudo conspira contra o assediado.
    Mas ainda bem que é “quase”. Ainda há esperança!
    Um conselho básico que vale para todos. Em todas as empresas onde o assédio moral “corre solto”, você precisa garantir as suas provas. Não faça ameaças ou comentários com seus colegas ou chefes do tipo: “vou processar, ou vou procurar um advogado...”. Tenha convicção de tudo o que passa e do mau que isso causa a você. Compre uma agenda ou livro ata e escreva diariamente o que acontece. Descreva os fatos, anote o nome das pessoas que testemunharam o ocorrido (se existiram testemunhas), e não deixe de relatar os seus sentimentos diante de cada fato. Anote as mesmas coisas, se você presenciou comportamentos de assédio a algum colega.
    Ou a advogada que você procurou era inexperiente, ou ela quis lhe dizer que sem provas não há o que ser feito. Será apenas a sua palavra contra a do assediador, e isso não basta.
    Tenha cuidado com o profissional que procura, conhecemos relato de profissional que ao que tudo indica, passou para o “outro lado”, deixando que o assediado perdesse prazos e consequentemente inviabilizando o processo.
    Use sua inteligência a seu favor. Gravações de celular e filmagens são provas que podem ser usadas e são aceitas pela justiça, mesmo sem autorização judicial. Guarde todos os e-mails de colegas e da chefia que confirmam a sua denúncia. Pessoas que já saíram da empresa e por conseqüência, não estão com medo de perder o emprego, são testemunhas válidas. Não perca o contato com elas. Se mais pessoas comentam com você que estão passando a mesma coisa e elas são “confiáveis”, juntem-se e produzam provas, porque se as agressões não são dirigidas apenas a um, mas a um grupo, isso é assédio moral coletivo, e vocês podem entrar juntos com um processo.
    Se você está sentindo algum efeito físico e emocional do assédio, procure um médico, procure um psicólogo, faça um acompanhamento para que você tenha um profissional que possa dar laudo da sua condição em relação ao assédio.
    Procure um advogado de peso, em especial, algum que tenha familiaridade com o tema, ou até um grande escritório de advocacia especializado em assédio moral. Informe-se na sua cidade, e se necessário, procure em outro lugar.
    Se desejar escreva-nos (assediados@gmail.com) relatando fatos e situações que tem vivido.
    Buscar forças em ambientes onde sabemos que somos compreendidos, ajuda a atravessas o momento.
    O mais importante é não desanimar e fazer do seu sofrimento força para lutar.

    “Sofrimento é passageiro, desistir é para sempre”

    Assediados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa!!!!!! que alivio em saber que apesar de estarmos presos a uma selva de pedra ainda podemos contar com pessoas confiáveis como você, que além de reativar nossas esperanças, ainda procuram nos direcionar para o lado ético e prudente da situação.
      Obrigada, vou seguir seus conselhos. Não vou desistir, por mim e pelos meus amigos que também sofrem com a mesma desumanidade.

      Excluir
    2. Que bom que você voltou!
      É maravilhoso perceber que você entendeu, e além disso que as nossas dicas trouxeram ânimo a você.
      Quando tudo isso acabar, você verá que valeu a pena, e que você saiu fortalecida.
      Volte sempre e indique o nosso blog aos seus contatos.
      Um abraço
      Assediados

      Excluir